Faz parte do ciclo das coisas, há tempos mais calmos e há tempos mais conturbados. Nas nossas áreas de intervenção também! Desde 2004 (já lá vão 5 anos…) que o AVAC&R se incendiaram. Empresas e técnicos, por este país fora, viram-se forçados a alterar hábitos arreigados de anos de actividade e assistiram a ter de sofrer para adquirirem competências que até então nem sequer suspeitavam que fossem exigíveis.

Os aspectos ambientais tornaram-se determinantes, cada técnico passou a saber valorizar a importância que tem na sua profissão trabalhar com correcção: a camada de ozono tem de ser preservada e nós hoje sabemos porquê; os resíduos já não são lixo, ganharam importância e são encaminhados de modo a que o futuro dos nossos filhos e netos seja mais esperançoso; a eficiência energética passou a ser uma obrigação interior a que nós próprios passámos a querer corresponder; o aquecimento global já é preocupação e todos sabemos que temos de dar o nosso contributo para que não se torne uma ameaça descontrolada. E, melhor que tudo, passámos a saber como tudo isso nos fez dar um passo em frente na competência com que hoje estamos na nossa profissão.

Hoje, final de Verão de 2009, estará a iniciar-se novo ciclo? Será que as eleições de 27 de Setembro trarão mudanças? Será que o Reg.(CE) 842/2006, que deveria ter visto a sua aplicação definida em 4 de Julho passado em todo o espaço comum europeu vai ter novos prazos? Que novas consequências imediatas virão para as nossas empresas se a resposta for uma ou se for outra?

Como vêem, temos tempos emotivos pela frente, mas em breve as respostas estarão desenhadas. Animemo-nos e confiemos, pode ser que sejam para o bem!

    Luís Fonseca e Silva
Secretário-Técnico | APIRAC
     
   
   

Primeira central solar gigante para exportar electricidade nasce no Alentejo

     
 

Está a ser estudada por um grupo de empresários portugueses a construção de uma central solar gigante no Alentejo, de dois mil megaWatts. Esta central será destinada à exportação de electricidade verde para a Europa do Norte, e a criação de um novo cluster industrial no país. Este investimento poderá rondar os seis mil milhões de euros.

Do núcleo promotor do projecto, designado Luz.On, fazem parte a Fundação Calouste Gulbenkian, Mário Baptista Coelho (responsável pela central de Moura), a Efacec e a EIPElectricidade Industrial Portuguesa, estas últimas duas entidades como parceiras tecnológicas. Actualmente, a central de Moura é a terceira maior do mundo, esta será 45 vezes maior.

A megacentral fotovoltaica de elevada concentração, de tecnologia norte-americana e alemã, é um dossier que está há vários meses em preparação. A sua instalação deverá ocupar cerca de cinco mil hectares numa zona no Alentejo, e é do conhecimento do Governo e da Comissão Europeia, que já deu o seu apoio, por a considerar de interesse europeu.

Com arranque previsto para 2011 e sete anos faseados de execução, a Luz.On quer seguir a estratégia que impulsionou a energia eólica no país, através da criação de uma fileira industrial, juntando parte das empresas situadas neste sector.

   
   

Europa começa a eliminar venda de lâmpadas incandescentes

     
 

A União Europeia iniciou este mês a transição das lâmpadas incandescentes comuns para modelos mais eficientes, disse a Comissão Europeia. Diversos países, incluindo Austrália, Canadá e Filipinas, já anunciaram que vão proibir ou restringir o comércio de lâmpadas tradicionais.

As novas normas europeias seguem um acordo estabelecido entre os 27 governos no ano passado, para a eliminação das lâmpadas incandescentes ao longo de três anos, começando em 2009. O objectivo é reduzir as emissões de gases com efeito estufa.

As lâmpadas incandescentes comuns de 100W já não serão fabricadas ou importadas pelos países da UE. Estas lâmpadas serão substituídas pelas fluorescentes ou halogéneas.

Segundo a UE, a troca dos modelos tradicionais pelos mais eficientes permitirá uma economia de energia de 25 a 75%.

   
   

Portugueses são dos que compram carros mais "amigos do ambiente" na Europa

     
 

Portugal ocupa um dos lugares cimeiros, a par de Espanha e da Itália, no que respeita aos automóveis “amigos do ambiente”. Um estudo realizado pela European Federation for Transport & Environment, divulgado hoje, revela que os portugueses são dos que compram carros menos poluentes na Europa.

Por oposição, é nos países do Leste, como a Estónia e Letónia, e também do Norte da Europa, como na Suécia, que são vendidos os veículos com maiores emissões de CO2, acrescenta o mesmo estudo citado pela Bloomberg. A Alemanha, a maior economia da Europa, ocupa o 20º posto no que respeita à aquisição de veículos com baixas emissões de gases para a atmosfera.

No estudo divulgado hoje foram consideradas as 14 fabricantes de automóveis mais representativas da indústria, bem como o número de veículos comercializados em 25 dos 27 países da Europa, durante o último ano. A Bulgária e a Eslováquia não forneceram números.

Fonte: Jornal de Negócios

   
   

França vai ter imposto de carbono a partir de 2010

     
 

Nicolas Sarkozy confirmou na semana passada que a França vai aplicar, a partir de 2010, um "imposto de carbono" sobre o consumo de gás, petróleo e carvão, como medida de luta contra as alterações climáticas.
"Está na altura de criar uma fiscalidade ecológica. A França deve reforçar as cobranças sobre as actividades poluentes e aliviar os impostos sobre a produção e o trabalho", declarou o presidente francês.

O objectivo do novo imposto é "alterar de forma duradoura" os comportamentos dos franceses, empresas e particulares, disse Sarkozy.

Este imposto vai ser aplicado a partir de 2010 com um valor de 17 euros por tonelada de dióxido de carbono, o que se vai traduzir num aumento de 4,5 cêntimos por litro de gasóleo e de 4 cêntimos por litro de gasolina.

Nicolas Sarkozy evocou que o objectivo da França é reduzir para um quarto as emissões de dióxido de carbono até 2050, por comparação com os valores de 1990.

A concretizar esta medida, a França torna-se na maior economia a aprovar um imposto deste tipo, já aplicado em países mais pequenos como a Suécia, a Dinamarca, a Finlândia e a Eslovénia.

   
   

Contas bancárias dos contribuintes "abertas" ao Fisco

     
 

O Presidente da República promulgou o diploma que alarga a possibilidade de levantamento do sigilo bancário, ou seja, estabelece novas situações em que o levantamento do sigilo bancário pode ser feito pela administração tributária sem dependência de prévia autorização do contribuinte.

As alterações à lei do sigilo bancário introduzidas pelo diploma em causa, e cuja publicação em Diário da República estará para breve, vão garantir à administração fiscal a possibilidade de obter informações.

Nos casos em que exista a possibilidade legal de o fisco exigir a derrogação do sigilo bancário será obrigatório a notificação das instituições de crédito, sociedades financeiras e demais entidades, para efeitos de permitirem o acesso a elementos cobertos pelo dever de sigilo a que estejam vinculadas.

Por outro lado, as instituições de crédito e sociedades financeiras passarão também a estar obrigadas a comunicar à DGI, até ao final do mês de Julho de cada ano, as transferências financeiras que tenham como destinatário entidade localizada em offshore.

Fonte: Boletim do Contribuinte | Revista de Informação Fiscal

   
   

Bruxelas "optimista" prevê crescimento no segundo Semestre

     
 

As previsões de crescimento da União Europeia e da Zona Euro são de uma contracção de 4% este ano, valores idênticos aos divulgados em Maio por Joaquín Almunia, o comissário responsável pelos Assuntos Económicos

No entanto, Bruxelas assume "algum optimismo", dado que se prevê já um pequeno crescimento no segundo semestre. Para já, o executivo comunitário diz que "a melhoria da situação se deve, sobretudo, aos montantes de capital sem precedentes que os bancos centrais e as entidades públicas injectaram na economia", mas alerta que "as intervenções políticas poderão ser mais eficazes do que o previsto para manter a procura, melhorar as percepções e restaurar a solidez do sector financeiro".

As previsões intercalares da Comissão baseiam-se nas estimativas para as sete economias mais importantes da UE - França, Alemanha, Itália, Holanda, Polónia, Espanha e Reino Unido - e que representam cerca de 80% do PIB europeu. Apesar de, segundo Almunia, existirem hoje "sinais positivos", "as debilidades económicas continuarão a repercutir-se no emprego e nas finanças públicas". Além disso, Bruxelas mantém ainda as previsões para a inflação relativa à UE, que se fixa nos 0,9%, e à Zona Euro, com 0,4%, mas estima o aumento da subida de preços mais próximo do final do ano. Almunia explica que "não se verificam pressões inflacionistas a nível interno porque à economia falta ainda um certo vigor" e se prevê ao mesmo tempo uma "desaceleração do crescimento dos salários". O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, partilha do "sentimento de optimismo" de Joaquín Almunia, mas salienta que "a crise de fundo ainda não acabou" pelo que "ainda é cedo para desligar o doente da máquina". E os dados sobre o emprego, divulgados ontem pelo Eurostat, não são, na verdade, muito animadores. Em Portugal, o número de pessoas empregadas baixou 2,7% no segundo trimestre, face ao mesmo período do ano passado, e recuou 0,9% em relação aos três primeiros meses do ano. A taxa de desemprego, no entanto, manteve-se em 9,2%.

Fonte: Diário de Notícias

   
   

Emprego

     
 

No segundo trimestre, o emprego na economia nacional recuou 0,9%, o dobro da zona euro

Portugal teve a terceira maior quebra de emprego da zona euro, no segundo trimestre do ano. Entre Abril e Junho, o número de postos de trabalho na economia nacional recuou 0,9%, quase o dobro da quebra registada na área da moeda única, onde o emprego caiu 0,5%.

Fonte: Diário Económico

   
   

2ª Edição do Concurso “Rock in Rio Escola Solar”

     
 

Foi apresentada a segunda edição do Concurso “Rock in Rio Escola Solar” que lança às escolas do 2º e 3º ciclos do ensino básico e secundário o desafio de serem criativos para, através de projectos sustentáveis, tentarem melhorar a qualidade de vida de grupos específicos das comunidades locais das áreas em que estão inseridas.

Desenvolvido pelo Rock in Rio e pela SIC Esperança, em parceria com a ADENE - Agência para a Energia, com o apoio do Ministério da Educação – Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular, do Instituto da Segurança Social, I.P. e do Gabinete do Coordenador Nacional da Estratégia de Lisboa e do Plano Tecnológico, é uma iniciativa que se enquadra no âmbito da Década das Nações Unidas para o desenvolvimento Sustentável e no Ano Europeu da Criatividade e da Inovação.

O seu principal objectivo é estimular a criatividade, a inovação e as boas práticas de acção em matéria de desenvolvimento sustentável através da participação das escolas na concepção e execução de projectos de cariz social e ambiental nas comunidades locais em que se inserem.

Fonte: ADENE

   
    Novos Associados
     
   

Só desta forma podemos crescer, evoluir e cada vez mais contribuir para a afirmação deste Sector.

Este mês temos o prazer de receber no nosso directório as seguintes empresas:

• 4x4 - Multitrabalhos de Construção Civil, Unipessoal, Lda

• E. CLARO - Unipessoal, Lda

• IMGTEK, LDA

• RUDEPÓLIS - Canalizações e Climatização, Lda

• VÍTOR ALVES - Ventilação e Climatização, Unipessoal, Lda

     
   
    Sistema Aprendizagem - Novos Cursos
   

Colocação de formandos em Entidades de Apoio à Alternância

 

APIEF – Centro de Formação Profissional de Indústria Térmica, Energia e Ambiente, na sequência do protocolo estabelecido com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a APIRAC vai dar início a duas acções do curso Técnico Refrigeração e Climatização (nível 3), nas cidades de Lisboa e Guimarães, e a uma acção do curso Técnico de Instalações Eléctricas (nível 3) em Guimarães.

As normas deste curso, com a duração de 3 anos, estabelecem que ao longo deste período, os formandos deverão realizar parte da formação em empresas (estágio – formação em contexto de trabalho), 1500 horas e 1100 horas, respectivamente nos cursos mencionados.

Esta componente de formação realizada nas empresas consiste na integração e acompanhamento dos formandos por parte de profissionais qualificados nas rotinas de trabalho, de acordo com planos de formação pré-estabelecidos, não envolvendo qualquer encargo para as empresas aderentes.

Na planificação estabelecida para o 1º ano, a presença dos formandos nas empresas será previsivelmente de uma semana em cada mês. No final do curso (3 anos) as empresas que participaram ficam em posição privilegiada para decidir sobre a contratação do(s) formando(s).

Face ao exposto, vimos solicitar aos Associados que estejam interessados em receber formandos, ou para qualquer pedido de esclarecimento adicional, que nos contactem até ao próximo dia 14 de Setembro.

Posteriormente, informaremos os Associados quanto à colocação de formandos, após o que será realizada uma reunião de planificação com técnicos, formadores e tutores.



   
     

» LISBOA
Isabel Fonseca
Tel: 213 224 260
Telm: 964 942 931
Fax: 213 474 576
formacao@apirac.pt
formacao@apief.pt

» PORTO
Dra. Patrícia Maia
Tel: 222 088 837
Telm: 964 942 932
Fax: 213 474 576
apirac.porto@apirac.pt
formacao.porto@apief.pt

» GUIMARÃES
Dra. Maria José
Tel: 213 224 260
Telm: 964 942 931
Fax: 213 474 576
apirac.guimaraes@apirac.pt
formacao.guimaraes@apief.pt

 

Inscreva-se Já!


     
   
   

Biodiesel a partir de… Pêra abacate

     
 

O Brasil é o terceiro produtor mundial de pêra abacate, fruto cultivado em quase todos os Estados, incluindo terrenos acidentados, a produção dá-se ao longo de todo o ano com 24 espécies que frutificam de três em três meses.

Investigadores da Universidade de S.Paulo (UNESP), publicaram um estudo em que, dizem, a pêra abacate pode vir a ser uma nova alternativa economicamente viável para a produção de biodiesel. Segundo aquele estudo, o abacate oferece uma vantagem em relação a outras oleaginosas hoje usadas na produção de biocombustível, vantagem essa que é de um mesmo fruto poderem extrair-se as duas principais matérias-primas do biodiesel, da polpa, o óleo e do caroço, o álcool etílico.

O objectivo inicial da investigação era apenas a extracção do óleo para produção de biodiesel, mas ao tratar-se o resíduo (caroço), obteve-se álcool etílico (refira-se que da soja extrai-se apenas óleo e para este se tornar biodiesel há que lhe adicionar álcool anidro).

É sabido que nem todos os óleos vegetais podem ser utilizados como matéria-prima para produção de biodiesel, pois alguns trazem consigo propriedades desfavoráveis, como demasiado alta viscosidade ou teores elevados em iodo, que tornam esse produto inapto para uso directo em motores diesel.

Teoricamente é possível extrair entre 2200 e 2800 litros de óleo por hectare de pêra abacate, número considerado elevado quando comparado com a extracção de outros óleos como os da soja, do girassol ou do algodão. Mas, o caroço do abacate tem algo mais, tem 20% de amido e com esse valor, é possível extrair ainda 74 litros de álcool por cada tonelada. Compare-se com os valores da cana-de-açúcar, com 85 litros por tonelada ou com a mandioca, 104 litros por tonelada.

Ainda não resolvido, o principal obstáculo para obtenção do óleo é o alto teor de humidade do abacate com 75% de água em média, o que afecta o rendimento da extracção. Este é, por agora, um dos desafios que a investigação procura solucionar: aperfeiçoar as metodologias de extracção para se alcançarem melhores rendimentos.

Economicamente, o abacate tem a vantagem ao oferecer dois-em-um, as duas matérias-primas no mesmo fruto, e por enquanto com custo mais baixo que a soja. Será que em breve teremos viaturas a circular alimentadas a óleo de pêra abacate? Dentro de poucos anos saberemos. Se quiser aprofundar o assunto, sugerimos-lhe um site bem explicado, em português e de leitura fácil. Boa viagem!

Para saber tudo, click aqui!

     
   
    Datas para pagamento de impostos
     
   

     
   
    Ambiente - Emissão de gases e poluentes
     
   

Decreto-Lei nº 196/2009, de 24 de Agosto - Procede à primeira alteração do DL nº 346/2007, de 17 de Outubro, que aprova o Regulamento Relativo a Tomar contra a Emissão de Gases e Partículas Poluentes Provenientes dos Motores de Ignição por Compressão e contra a Emissão de Gases Poluentes Provenientes dos Motores de Ignição Comandada Alimentados a Gás Natural ou a Gás de Petróleo Liquefeito Utilizados em Veículos, transpondo para a ordem jurídica interna a Directiva nº 2008/74/CE, da Comissão, de 18 de Julho.

   
   

Declaração de Rectificação nº 63/2009, de 21 de Agosto - Rectifica a Portaria nº 676/2009, de 23 de Junho, dos Ministérios do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, da Economia e da Inovação e da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, que substitui a tabela nº 3 do anexo à Port. nº 80/2006, de 23 de Janeiro, que fixa os limiares mássicos máximos e mínimos de poluentes atmosféricos, publicada no Diário da República, 1ª série, nº 119, de 23 de Junho de 2009.

   
   

Ambiente - Regime Jurídico da deposição de resíduos em aterro

     
   

Decreto-Lei nº 183/2009, de 10 de Agosto - Estabelece o regime jurídico da deposição de resíduos em aterro, as características técnicas e os requisitos a observar na concepção, licenciamento, construção, exploração, encerramento e pós-encerramento de aterros, transpondo para a ordem jurídica interna a Directiva nº 1999/31/CE, do Conselho, de 26 de Abril, relativa à deposição de resíduos em aterros, alterada pelo Regulamento (CE) nº 1882/2003, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 29 de Setembro, aplica a Decisão nº 2003/33/CE, de 19 de Dezembro de 2002, e revoga o DL nº 152/2002, de 23 de Maio.

   
   

Banca - Crédito à habitação

     
   

Decreto-Lei nº 192/2009, de 17 de Agosto - Procede à segunda alteração ao DL nº 51/2007, de 7 de Março, quer regula as práticas bancárias na concessão do crédito à habitação, estendendo o seu regime a outros contratos de crédito garantidos pelo mesmo imóvel e reforçando o direito do consumidor à informação, e procede à extensão do regime estabelecido pelo DL nº 171/2008, de 26 de Agosto, a este tipo de créditos.

   
   

Benefícios Fiscais

     
   

Lei nº 72/2009, de 6 de Agosto - Introduz um regime transitório de majoração do incentivo fiscal à destruição de automóveis ligeiros em fim de vida previsto no DL nº 292-A/2000, de 15 de Novembro.

   
   

Resolução do Conselho de Ministro nº 70/2009, de 21 de Agosto - Cria o Programa de Recuperação do Património Classificado.

   
   

Código da Estrada

     
   

Lei nº 78/2009, de 13 de Agosto - Procede à oitava alteração ao Código da Estrada, permitindo o averbamento da habitação legal para a condução de veículos da categoria A I à carta de condução de veículos da categoria B.

   
   

Instalações eléctricas - licenciamento

     
   

Decreto Legislativo Regional nº 24/2009, de 14 de Agosto - Aprova as normas essenciais relativas ao licenciamento de instalações eléctricas de serviço particular.

   
   

Empreitadas de obras públicas - caderno de encargos

     
   

Portaria nº 959/2009, de 21 de Agosto - Aprova o formulário de caderno de encargos relativo aos contratos e empreitadas de obras públicas e revoga a Portaria nº 104/2001, de 21 de Fevereiro.

   
   

Madeira - Adaptação do Código do Trabalho à RA da Madeira

     
   

Decreto Legislativo Regional nº 21/2009/M, de 4 de Agosto - Adapta à Região Autónoma da Madeira o novo Código do Trabalho.

   
   

Imobiliário - Património classificado - Construção e restauro - Incentivos fiscais

     
   

Resolução do Censelho de MInistro nº 70/2009, de 21 de Agosto - Cria o Programa de Recuperação do Património Classificado.

 

   
    SED PRODUKTIONS GMBH
    Palestra: Telhas Solares: Produzir e Poupar Energia num só Sistema
 


» Procuro DISTRIBUIDORES


Montagem fácil e rápida: sem necessidades de preparação de obra, sem sujidade, sem ruído, construído num dia pelo construtor de telhados, sem alterações da estática da estrutura do telhado.

Procuramos Distribuidores Regionais para as nossas telhas solares, ideias para o sistema português de incentivo fotovoltaico.

As telhas solares SED resultam numa central de 1 kWp, uma instalação concluída no máximo com meio dia de trabalho num telhado de uma casa e que produz energia renovável. As telhas solares fabricadas em Polymatrix e design STEP e que mantêm a estrutura do telhado, têm exactamente o mesmo tamanho, forma e cor das telhas originais, sendo estas simplesmente substituídas aquando da montagem.

www.sed.at

   

   

S.O.L.I.D. SOLARINSTALLATIONEN UND DESIGN GMBH

    Palestra: Grandes Sistemas Solares Térmicos para gerar Frio e Calor
 


» Procuro DISTRIBUIDORES

Desde 1992 que a S.O.L.I.D. planeia, constrói, fornece, monta e explora mundialmente instalações solares de grandes dimensões para a preparação de água quente, aquecimento ambiente e calor industrial, (fornecimento de aquecimento à distância), assim como refrigeradores accionados termicamente.

A S.O.L.I.D. é uma das empresas pioneiras e líderes mundiais do sector solar, devido ao know-how resultante das instalações solares de grandes dimensões, ou seja, a partir de 100m2 de superfícies colectoras.

A S.O.L.I.D. procura pareceiros de distribuição para instalações de grandes dimensões e/ou grandes clientes directos.

www.solid.at

   
   

BAUMIT BETEILIGUNGEN GMBH

    Palestra: Baumit - Potencial de Poupança Energética mediante Isolamento Térmico Exterior
 


» Procuro PARCEIRO PARA COOPERAÇÃO

É nosso objectivo sermos um bom parceiro para os nossos clientes e para todos os parceiros de distribuição que exercem a sua actividade em toda a Europa. Não só através de etapas de produção controladas interna e externamente, como também através de uma consultoria de qualidade e uma verdadeira orientação em função do cliente.

A Baumit, com os seus 20 anos de experiência, é considerada pioneira em matéria de sistemas integrados de isolamento térmico. Com mais de 150 milhões de m2 de superfície de fachada colocada, a Baumit é o número 1 na Europa Central.

o slogan "ideias com futuro" é mais do que merecido quando falamos da Baumit. Basta lembrarmo-nos das suas inovações, tais como o Baumit open, a "KlimaFassade" *(fachada climática) ou o revolucionário "Baumit Klebeanker" *(parafuso aderente da Baumit).

www.baumit.com

     
   
    WORKSHOP - Propostas de reformulação das Directivas REEE e RoHS
    Lisboa, PORTUGAL |18 de Setembro'09
 

A APA - Agência Portuguesa do Ambiente, vai realizar já no próximo dia 18 de Setembro, às 14H00, o Workshop - Propostas de reformulação das Directivas REEE e RoHS, no Auditório da APA.

Este Workshop visa promover a auscultação dos vários intervenientes relevantes na matéria sobre as propostas de reformulação das Directivas 2002/95/CE e 2002/96/CE, de 27 de Janeiro, nas suas redacções actuais, nomeadamente sobre os temas focados nesta sede. Tendo ambas as propostas tido a Primeira Leitura pela Comissão Europeia, encontram-se presentemente a decorrer reuniões em sede de Grupo Ambiente no Conselho Europeu, com vista à sua posterior aprovação, expectável em 2010.

Para obter todas as informações necessárias queiram contactar:

Contactos:
Dra Cristina Garção
Tel.
: +351 21 472 83 11
Fax: +351 21 472 14 57
website: www.apambiente.pt

   
    Jornada Técnica Austríaca
    Lisboa, PORTUGAL |29 de Setembro'09
 

No próximo dia 29 de Setembro, no Hotel Corinthia em Lisboa, o Departamento Comercial da Embaixada da Áustria, apresenta a Jornada Técnica Austríaca sobre Construção Sustentável e Eficiência Energética.

Estão convidados todos os profissionais do Sector. A participação nas palestras e entrevistas é gratuita mediante inscrição prévia. (até dia 18 de Setembro)

Para obter todas as informações necessárias queiram contactar:

Contactos:
Embaixada da Áustria - Deptº Comercial
Tel.
: +351 213 171 010
Fax: +351 213 710 018/9
E-mail: lisboa@austriantrade.org
website: www.advantageaustria.org/pt

     
   
    SINERCLIMA 2010
    EXPOSALÃO |25-26-27-28 de Fevereiro'10
 

A APIRAC já está a preparar a terceira edição da Grande Feira do Sector de Energia, Refrigeração, Climatização, Qualidade do Ar Interior e Energias Renováveis - SINERCLIMA 2010.

Novamente na Exposalão Batalha, durante quatro dias, onde certamente encontrará bons contactos, novidades, parcerias de negócios e profissionais da área e ainda um conjunto de conferências de eleição.

Não perca esta oportunidade, tanto como expositor, como visitante, renove contactos e crie ambiente aos bons negócios. Agende a sua presença na SINERCLIMA.

Contactos:
APIRAC - Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado | Lisboa
Tel.: +351 213 224 260 | comunicacao-imagem@apirac.pt

EXPOSALÃO - Centro de Negócios | Batalha
catarinaalves@exposalao.pt | rogeriohenriques@exposalao.pt