Missão cumprida. É agora expectável que até ao ano de 2050, os níveis de Ozono (O3) regressem aos existentes em 1980. Para isso contribuiu em grande medida a adopção dos compromissos assumidos pelos Estados que subscreveram o Protocolo de Montreal, com início no ano de 1987, no seio das Nações Unidas, como corolário da Convenção de Viena no ano de 1980. Como princípio, a grande medida seria a de esses países limitarem a produção e o uso de ODS, as substâncias que empobrecem a camada de ozono.

Nesse sentido, a Europa deu o exemplo, com a UE a aprovar o Regulamento (CE) nº 2037:2000 do Parlamento Europeu e do Conselho, com entrada em vigor a 29 de Junho de 2000, como reflexo dos compromissos assumidos pelo Protocolo de Montreal, sendo até mais exigente nos objectivos a atingir, na limitação da produção, consumo e eliminação progressiva dos clorofluorcarbonos (CFC) e hidroclorofluorcarbonos (HCFC).

Recorde-se que Portugal ratificou a Convenção e o Protocolo em 1988 e consequentes posteriores Emendas, tendo transposto para o direito português o primeiro Diploma, o Decreto-Lei 119/2002, incumbindo o antigo Instituto do Ambiente, agora APA - Agência Portuguesa do Ambiente, como autoridade para fazer aplicar e cumprir a regulamentação europeia, com principal ênfase nas regras a observar na recuperação, reciclagem, valorização e destruição daquelas substâncias. Como sabemos, essa legislação veio a ser complementada pelo Decreto-Lei 152/2005, de 31 de Agosto, entretanto actualizado pelo Decreto-Lei 35/2008, de 27 de Fevereiro.

É precisamente no nosso Sector que tem reflexo a regulamentação europeia e nacional, com especial incidência na qualificação profissional dos técnicos que manuseiam os fluidos frigorigéneos e procedem à manutenção, reparação e assistência técnica a equipamentos de refrigeração, ar condicionado e bombas de calor, incluindo a detecção de fugas em cada circuito frigorífico a partir de uma carga individual de 3 kg de fluido frigorigéneo, operação esta obrigatória e de periodicidade anual.

Nesse sentido, a APIRAC como membro da CRAC - Comissão de Refrigeração e Ar Condicionado, criada no seio da APA, contribuiu decisivamente, participando na análise curricular dos candidatos a exame e no Júri de Exame, em colaboração com APA e o IEFP. A APIEF, como centro de formação e qualificação profissional, com acreditação junto da DGERT, foi incumbida da realização dos exames teórico-práticos de avaliação dos conhecimentos dos técnicos candidatos à qualificação profissional referida.

Entretanto, o prazo de candidaturas para exame de fluidos terminou em 30 de Junho de 2008, tendo as últimas provas de exame de avaliação dos candidatos sido realizadas no passado dia 21 de Outubro de 2009. É interessante estabelecer uma base estatística dos resultados obtidos com todo este processo de qualificação, abarcando os três níveis de técnicos que foram aceites no programa de qualificação técnica. Relativamente aos técnicos dos grupos B e C, alvo de processo de examinação, para além dos técnicos que foram qualificados directamente por possuírem habilitações para o efeito, realizaram-se 2.775 exames, nos quais foram considerados aptos 1.573 profissionais, ao que corresponde uma percentagem de êxito de 75%. No site da APA é possível encontrar a lista com os técnicos actualmente qualificados dos grupos A (350 técnicos), B (1900 técnicos) e C (170 técnicos).

Recordamos que, sem limite temporal, será ainda possível a qualificação dos técnicos que usufruam de formação reconhecida conforme previsto no Decreto-Lei n.º 35/2008.

    José Dias Caetano
Departamento Técnico | APIRAC
     
   
   

Seminário APIEF e LG

    Acção de Sensibilidade sobre a Nova Legislação de Edifícios

 

No âmbito da parceria com a APIEF, a LG Portugal realizou no passado dia 27 de Outubro na sua Academia de Formação em Lisboa, um Seminário destinado a instaladores onde se discutiram questões, como a Qualidade do Ar interior em Edifícios e a Regulamentação inerente à Segurança em Redes de Refrigeração e Climatização. No final do dia de trabalho, a opinião dos participantes era unânime que de o evento tinha sido um sucesso, pela relevância que os temas representam na actualidade, para o sector.

Esta será sem dúvida uma iniciativa a repetir em 2010, integrada no Plano de Formação 2010 que a APIEF irá apresentar.

   
   

Energias Renováveis

   

Estatísticas Rápidas - Agosto 2009

 

O total da potência instalada renovável atingiu 8 878 MW, no final de Agosto de 2009.

O aumento de potência, relativamente a Julho, verificou-se na potência instalada eólica, fotovoltaica e minihídrica.

A produção total de energia eléctrica, a partir de FER, regista um acréscimo de 11% de Janeiro a Agosto de 2009, relativamente a igual período de 2008.  Verifica-se uma ligeira desaceleração do crescimento, atendendo a que, em Agosto e tal como se vem verificando desde Abril, a produção da sua componente hídrica é, ainda, inferior à verificada no mês homólogo do ano anterior (-10%).

A produção eólica, de Janeiro a Agosto de 2009, cresceu 18% relativamente a igual período de 2008. Em Agosto a produção foi 7% superior à verificada no mês homólogo do ano anterior.

Em Agosto volta a registar-se um aumento significativo de potência nas centrais eólicas.

Fonte: DGEG

   
   

Peritos Qualificados

   

A ADENE e APAE assinam protocolo no Portugal Tecnológico

 

A ADENE – Agência para a Energia e a APAE – Associação Portuguesa dos Avaliadores de Engenharia, assinaram durante  a mostra Portugal Tecnológico, na Feira Internacional de Lisboa, um Protocolo de Cooperação tendo em vista, entre outros objectivos, a criação de um “Código de Conduta dos Peritos Qualificados” a submeter a consulta pública.

O Protocolo de Cooperação tem também como objectivos: estudar o impacto da certificação energética e da QAI no valor de mercado dos edifícios em Portugal, contribuir para uma maior eficácia da certificação energética de edifícios e consequente redução do consumo de energia, induzir e incentivar os proprietários no sentido de implementarem as medidas de melhoria apresentadas nos certificados energéticos.

A assinatura do Protocolo teve lugar no stand da ADENE dedicado ao Sistema Nacional de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior nos Edifícios (SCE), com principal destaque para a demonstração do Simulador de Eficiência Energética.

Fonte: ADENE

   
   

Eficiência Energética

   

Portugal não cumpre meta do PNAEE

 

Portugal não cumpriu a meta estabelecida no Plano Nacional de Acção para Eficiência Energética (PNAEE) de reduzir o consumo energético em cerca de 1% anualmente. Em 2008, o País só conseguiu poupar 119 mil tep, ficando abaixo dos 160 mil tep que a meta exige.
 
Segundo Alexandre Fernandes, Director-Geral da Adene – Agência para a Energia, entidade que coordena o PNAEE, «A eficiência energética não é linear. Há vários factores que interferem na entrada em vigor das medidas enunciadas num plano desta índole. Até porque se uma medida ainda não está em vigor acaba por ser compensada por outra».

Entre as medidas que menos contribuíram estão os programas afectos à mobilidade urbana e ao Estado. No sector dos transportes, os programas mobilidade urbana e sistema de eficiência energética para os transportes.

Do lado comportamental, está previsto o Programa "Mais". Este prevê, por exemplo, o lançamento do Prémio Mais Eficiência para empresas, edifícios, escolas, entre outras; e a criação do selo ou credenciação Mais Eficiência Energética para identificar boas práticas nas vertentes casa, autarquia, empresa, escola e equipamentos.

Fonte: Portal do Ambiente

   
   

Hidrogénio

    Portugal em projecto europeu

 

O hidrogénio é ainda o “parente pobre” das tecnologias energéticas em Portugal. Segundo Rei Fernandes e Rui Pimenta, investigadores do Research Group on Energy and Sustainable Development (RGESD) do Instituto Superior Técnico (IST) «Não existe uma estratégia para o hidrogénio com metas e objectivos claros». Para inverter este panorama, Portugal está envolvido no projecto Hyrreg, financiado pela União Europeia, através do programa SUDOE/INTERREG IV B. Este projecto, que se iniciou em Abril e deverá estar concluído em Outubro de 2011, envolve um conjunto de 9 parceiros de Portugal, Espanha e França, e um investimento de 1,3 milhões de euros.

O principal objectivo do Hyrreg é, segundo Rui Pimenta, «promover a competitividade e desenvolvimento da indústria das tecnologias de hidrogénio e de pilhas de combustível na região SUDOE», que inclui Portugal e Espanha continental, 6 regiões de França e ainda Ceuta, Melilla e Ilhas Baleares (Espanha) e Gibraltar.

Para o concretizar, serão analisadas as capacidades actuais dos países na área do hidrogénio e pilhas de combustível, e desenvolvidos relatórios de vigilância tecnológica para tecnologias-chave nestas áreas. Os investigadores irão também «avaliar o potencial comercial destas tecnologias e elaborar o Roteiro para a Economia do Hidrogénio na região SUDOE», explica o especialista do IST. Este roteiro, que irá identificar os impactes ambientais e económicos da utilização do hidrogénio, bem como as oportunidades de negócio decorrentes da sua introdução no mercado energético nacional.

O projecto conta com o apoio da DGEG - Direcção Geral de Energia e Geologia e da DGAE -  Direcção Geral das Actividades Económicas e será desenvolvido pelo IDMEC/Instituto Superior Técnico, AP2H2, Laboratório Nacional de Energia e Geologia e Universidade de Aveiro.

Fonte: Portal do Ambiente

   
   

Comércio vai poder taxar pagamentos com cartão

     
 

Bruxelas deu liberdade de escolha e Portugal, ao contrário da maioria da Zona Euro, optou por permitir que os comerciantes pratiquem preços mais altos para quem paga com cartão.

Os comerciantes vão passar a poder cobrar uma taxa aos clientes sobre cada pagamento com cartões efectuado nas suas lojas. O Governo português decidiu, ao transpor a Directiva sobre Serviços de Pagamentos, deixar ao critério de cada comerciante se pretende ou não aplicar o designado surcharging, uma taxa adicional, cujo valor ainda não está definido. Para os consumidores, será um custo acrescido na hora de pagar ou um convite a andar com mais dinheiro na carteira.

A directiva em causa, que entra em vigor já a 1 de Novembro, dá a cada Estado membro a liberdade de permitir ou proibir a cobrança deste custo adicional na hora de aceitar um pagamento com cartão, seja de débito ou de crédito.

Fonte: Diário de Notícias

   
   

Pagamentos por débito directo acessíveis a todos na UE

   
 

A partir de hoje qualquer cidadão ou empresa europeu poderá fazer pagamentos por débito directo sobre uma conta noutro Estado-membro, tal como se fosse no próprio país.

A Comissão Europeia lança, assim, a segunda fase do espaço SEPA - Área Única de Pagamentos em Euros - que inclui, além dos 27 EM da UE, a Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça.

O espaço prevê vários métodos de pagamento: os cartões de débito e de crédito e as transferências a crédito em vigor desde Janeiro do ano passado e os débitos directos que por razões técnicas e legais, só agora passam à prática. Ainda assim, a tempo de cumprir a promessa do sector dos pagamentos de criar até 2010 uma "área única de pagamentos em euros" com infra-estruturas e produtos de pagamento integrados que permitem a livre circulação de fundos entre os utilizadores, independentemente de onde estes se encontrem.

Em termos práticos, um francês residente com conta bancária em França pode pagar por transferência bancária - débito directo - dessa mesma conta, a factura de telefone que tenha em Portugal, tal como se estivesse no mesmo país. O mesmo se aplica a empresas com múltiplas sucursais nos Estados-membros aderentes ao SEPA, que podem fazer pagamentos por débitos directos de uma mesma conta bancária. Desde 2008 que no espaço SEPA se pode levantar dinheiro ou pagar compras e serviços com o cartão de débito nacional, sem ter que pagar taxas suplementares ou fazer câmbios de moeda. Também numa transferência internacional o dinheiro fica disponível em três dias.

Fonte:
Jornal de Notícias

   
   

Porto | Norte

    Atendimento personalizado aos Associados
   

Conforme já oportunamente anunciado, a APIRAC tem um serviço de atendimento personalizado, no início de cada mês, no seu escritório à Campanhã, na Rua Monte do Bonfim, 120, Porto, com a participação do Departamento Técnico da APIRAC, com a intenção de dialogar pessoalmente com os seus associados, sobretudo instaladores, na procura de auscultar directamente os interessados em apresentar os seus problemas relacionados com a actividade das suas empresas do ramo AVAC&R.

Nesse sentido, agradecíamos desde já o vosso contacto, pessoalmente ou através do telefone 222 088 837, deixando aqui o nosso convite para vos atender no próximo dia 10 DE NOVEMBRO DE 2009 (3ª Feira), nas referidas instalações, das 10H00 às 13H00 e das 14H00 às 17H00.

     
   
    Sistema Aprendizagem - Colocação de formandos em Entidades de Apoio à Alternância
   

Técnico de Instalação de Sistemas Solares Térmicos

 

A APIEF – Centro de Formação Profissional de Indústria Térmica, Energia e Ambiente, na sequência do protocolo estabelecido com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a APIRAC vai dar início a mais duas acções no âmbito Aprendizagem, desta feita, do curso Técnico Instalador de Sistemas Solares Térmicos (nível 3) nas cidades de Lisboa e Guimarães.

As normas deste curso, com a duração de 3 anos, estabelecem que ao longo deste período, os formandos deverão realizar parte da formação em empresas (estágio – formação em contexto de trabalho), 1100 horas.

Esta componente de formação realizada nas empresas consiste na integração e acompanhamento dos formandos por parte de profissionais qualificados nas rotinas de trabalho, de acordo com planos de formação pré-estabelecidos, não envolvendo qualquer encargo para as empresas aderentes.

Na planificação estabelecida para o 1º ano, a presença dos formandos nas empresas será previsivelmente de uma semana em cada mês. No final do curso (3 anos) as empresas que participaram ficam em posição privilegiada para decidir sobre a contratação do(s) formando(s).

Face ao exposto, vimos solicitar aos Associados que estejam interessados em receber formandos, ou para qualquer pedido de esclarecimento adicional, que nos contactem até ao próximo dia 10 de Outubro.

Posteriormente, informaremos os Associados quanto à colocação de formandos, após o que será realizada uma reunião de planificação com técnicos, formadores e tutores.

 



   
     

» LISBOA
Isabel Fonseca
Tel: 213 224 260
Telm: 964 942 931
Fax: 213 474 576
formacao@apirac.pt
formacao@apief.pt

» PORTO
Dra. Patrícia Maia
Tel: 222 088 837
Telm: 964 942 932
Fax: 213 474 576
apirac.porto@apirac.pt
formacao.porto@apief.pt

» GUIMARÃES
Dra. Maria José
Tel: 213 224 260
Telm: 964 942 931
Fax: 213 474 576
apirac.guimaraes@apirac.pt
formacao.guimaraes@apief.pt

 


Inscreva-se Já!



     
   
   

Ar condicionado automóvel, que diferenças?

     
 

Quando hoje entramos no nosso automóvel, se for entre Maio e Outubro, temos fortes probabilidades de ter um dia quente, tão comum neste nosso país de clima dito temperado, e um dos primeiros gestos que cumprimos – se não for o automatismo a fazê-lo – é ligarmos o ar condicionado.

Nas nossas empresas, o ar condicionado automóvel passa-nos um tanto ao lado, como se fosse um parente pobrezinho a quem não ligamos muito. Só que os sistemas A/C automóvel são quase, sem tirar nem pôr, exactamente os nossos circuitos. E os problemas técnicos e ambientais que o ar condicionado automóvel hoje coloca, têm uma dimensão bem para além do negligenciável. De tal modo que a legislação europeia que regula o funcionamento dos nossos circuitos com os “nossos” F-Gases (os gases fluorados com efeito de estufa [os HFC]) o Regulamento (CE) 842/2006, tal como originou o Reg.(CE) 303/2008 que nos diz directamente respeito (às instalações fixas) também produziu o Reg.CE) 307/2008 que diz respeito ao ar condicionado em veículos (pequenos e grandes, rodo e ferroviários).

Não será altura de verificar que se sabe trabalhar em ar condicionado fixo, também poderá fazê-lo em automóveis?

Sugerimos-lhe um site, se bem que em inglês, mas de fácil leitura onde poderá tirar dúvidas que sobre este tema ainda tenha.

Para saber tudo, click aqui

     
   
    Datas para pagamento de impostos
     
   

     
   
   

Energia e Ambiente - desempenho energético dos edifícios

     
   

Decreto Legislativo Regional n.º 16/2009/A, de 13 de Outubro - Estabelece normas relativas ao desempenho energético dos edifícios e à qualidade de ar interior, transpondo para o ordenamento jurídico regional a Directiva n.º 2002/91/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de Dezembro.

   
   

Ambiente

     
   

Portaria n.º 1127/2009, de 10 de Outubro - Aprova o Regulamento Relativo à Aplicação do Produto da Taxa de Gestão de Resíduos.

   
   

IMI - Coeficientes de localização - Zonamento

     
   

Portaria n.º 1119/2009, de 30 de Outubro - Actualiza o zonamento com a introdução de zonas homogéneas do zonamento e delimitação de alguns coeficientes de localização.

   
   

Importações e alfândegas - Regime de trânsito comunitário

     
   

Portaria n.º 1193/2009, de 8 de Outubro - Estabelece as normas que devem regular a autorização e o funcionamento da simplificação designada por "actualização de selos de um modelo especial".

   
   

Incentivos

   
   

Decreto Legislativo Regional n.º 14/2009/A, de 12 de Outubro - Identifica como sendo susceptíveis de apoio, no âmbito do Subsistema de Apoio ao Desenvolvimento Estratégico, os projectos de investimento localizados nas ilhas de Santa Maria, Graciosa, São Jorge, Pico, Flores e Corvo, que se desenvolvam na área de actividade de armazenagem não frigorífica.

   
   

Benefícios Fiscais - Incentivos à interioridade

   
   

Portaria n.º 1117/2009, de 30 de Setembro - Estabelece as áreas territoriais beneficiárias dos incentivos às regiões com problemas de interioridade.

   
   

Benefícios Fiscais - Seguros - IRS, IRC e IVA

     
   

Decreto-Lei n.º 292/2009, de 13 de Outubro - No uso da autorização legislativa concedida pelo artigo 123º da Lei 64-A/2008, de 31 de Dezembro, estabelece o regime fiscal aplicável a produtos comercializados pelas empresas seguradoras, pelas sociedades gestoras de fundos de pensões e pelas associações mutualistas, alterando também para 15 de Julho o prazo de envio, por transmissão electrónica de dados, das declarações que integram a informação empresarial simplificada.

   
   

Código de Processo do Trabalho

     
   

Decreto-Lei n.º 295/2009, de 13 de Outubro - No uso da autorização legislativa concedida pela Lei n.º 76/2009, de 13 de Agosto, altera o Código de Processo do Trabalho, aprovado pelo DL n.º 480/99, de 9 de Novembro.

   
   

Código dos Contratos Públicos

     
   

Decreto-Lei n.º 278/2009, de 2 de Outubro - Procede à segunda alteração ao Código dos Contratos Públicos, aprovado pelo DL n.º 18/2008, de 29 de Janeiro, com vista a garantir a flexibilidade da sua aplicação às actividades de investigação e desenvolvimento em instituições científicas e de ensino superior.

   

 

   
    AQUAPOINT - Upgrade you Live
     
 

» Procura Assistência Técnica

A Aquapoint é uma empresa especializada no fornecimneto e instalação de máquinas purificadoras de água de última geração, a que chamamos "Sistema Aquapoint".

A Aquapoint procura empresa especializada em repação e assistência destas máquinas de refrigeradoras.

Para mais informações consulte o nosso site, ou entre em contacto com o Sr. Marçal Silva através do e-mail: tecnic.aquapoint@gmail.com

www.aquapoint.pt

   

   

Extinción y Refrigeración – Extinfrisa

   
 

Empresa do Grupo Tazzetti. Leader desde 1988 no sector da formulação e comercialização de fluidos refrigerantes e gases especiais, procura:

Candidaturas de profissionais, agentes e consultores com carteira de clientes e com experiência nos sectores complementares ao dos gases refrigerantes e fluidos especiais:

  1. componentes para sistemas de condicionamento
  2. compressores de ar condicionado
  3. gases industriais
  4. indústria química com uma carteira de 200/400 clientes.

As suas funções principais serão a promoção e a gestão de vendas de produtos da empresa, bem como a concretização de oportunidades de negócios nas zonas atribuídas.

É imprescindível ter grande experiência no âmbito complementar aos fluidos refrigerantes e gases especiais.

A relação de trabalho será vinculada por um contrato de agência com o reconhecimento de comissões sobre as vendas efectuadas.

Requisitos:

  1. diploma de técnico ou habilitações equivalentes
  2. experiência mínima de 3 anos no sector
  3. conhecimento da língua espanhola
  4. disponibilidade para deslocações contínuas
  5. capacidade de comunicação
  6. espírito comercial
  7. orientação para o cliente.

Convidam-se os interessados a enviar CV detalhado com autorização para o tratamento dos dados pessoais para:
Extinción y Refrigeración S.A 
C/ Roma nº. 2 Poligono Industrial
Torres de la Alameda 28813 Madrid
e-mail Recursos.humanos@extinfrisa.es  - RIF AC/PO13  
www.extinfrisa.es

   
   

CÁMARA DE COMERCIO DE LA CORUÑA

    Sector Alimentar e Agroalimentar - Frio
 


» Procuro PARCEIRO PARA COOPERAÇÃO

Como representante da Cámara de Comercio da Coruña em Portugal, tenho o prazer de informar que nos dias 10 e 11 de Novembro celebrar-se-ão os VI Encontros Empresarias Galiza-Portugal com a colaboração da Câmara Luso-Espanhola.

O objectivo do encontro é promover o mútuo conhecimento das empresas galaicas e portuguesas especialmente no ramo de frio e construcção.

Com o desejo de contar com a sua participação, tenho o prazer de o convidar ao Acto Inaugural com posterior Almoço, que terá lugar o dia 10 de Novembro às 13.00h no Hotel Tiara, em Lisboa.

Uma das empresas que irá participar neste encontro é Aproalia (www.aproalia.es), especializada no desenho, fabricação e montagem de maquinaria de refrigeração e climatização.

A Aprolia terá um enorme gosto em poder reunir-se com empresas instaladoras de frio, de assistência e manutenção dos seus quipamentos.

O perfil das empresas para a reunião seriam do sector alimentar e agroalimentar.

Para mais informações queiram por favor contactar:
Pablo Mariño Lustres - Promotor comercio exterior
Camara de Comercio de la Coruña
Camara de Comércio e Indústria Luso Espanhola
Av. Marquês de Tomar, 2 - 7º | 1050-010 Lisboa
Tlf. ( 00 351) 213 527 010 | Fax. ( 00 351) 213 526 333
e-mail: pablo@ccile.org

     
   
    SINERCLIMA 2010
    EXPOSALÃO |25-26-27-28 de Fevereiro'10

 

A APIRAC já está a preparar a terceira edição da Grande Feira do Sector de Energia, Refrigeração, Climatização, Qualidade do Ar Interior e Energias Renováveis - SINERCLIMA 2010.

Novamente na Exposalão Batalha, durante quatro dias, onde certamente encontrará bons contactos, novidades, parcerias de negócios e profissionais da área e ainda um conjunto de conferências e colóquios com a participação dos principais agentes com responsabilidade técnica no mercado.

Não perca esta oportunidade, tanto como expositor, como visitante, renove contactos e crie ambiente aos bons negócios. Agende a sua presença na SINERCLIMA.

Contactos:
APIRAC - Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado | Lisboa
Tel.: +351 213 224 260 | comunicacao-imagem@apirac.pt

EXPOSALÃO - Centro de Negócios | Batalha
catarinaalves@exposalao.pt | rogeriohenriques@exposalao.pt

     
   
    Se pretender fazer um coméntário ou deixar-nos a sua opinião, clique aqui!