Decorreu na Batalha o 1º Encontro Nacional de Instaladores. Neste evento, que se realizou no recente dia 08 do corrente mês de Julho, numa iniciativa da Comissão de Instaladores da APIRAC, subordinado ao tema “A SUSTENTABILIDADE DO SECTOR DE AVAC&R”, procurou analisar-se os riscos inerentes à actividade de instalador e apresentar-se algumas soluções para obviar a esses riscos. Realçamos uma participação significativa de interessados, registando-se cerca de 70 inscrições, na sua grande maioria de empresas Associadas, mas também de algumas empresas de outras Associações.

A abertura dos trabalhos coube ao Presidente da APIRAC, Fernando Brito, que salientou o trabalho da Comissão de Instaladores da APIRAC, quer pela sua iniciativa quer pelo seu bom funcionamento, exemplo a seguir pelas restantes Comissões da Associação. Chamou ainda a atenção para a legislação do Sector que irá sair nos próximos dois anos e que deverá ser motivo de acompanhamento e analise, por parte dos Associados e Comissões de trabalho. A presidir aos trabalhos esteve Pedro Alves (GDF-Suez-Cofely) da Comissão de Instaladores, que sintetizou as preocupações do Sector.

O primeiro tema, sobre a evolução e as perspectivas para 2010 e 2011 do mercado de instalação e manutenção de AVAC em Portugal e Espanha, coube a Juan Ortín (DBK-Director de Analises e Projectos). Do tema seguinte, José Carvalho (Tecnospie) Presidente da Comissão de Instaladores, abordou os aspectos dos riscos inerentes à actividade e garantias associados às instalações, baseando-se em alguns Guias de Associado elaborados pela Comissão, nomeadamente sobre garantias técnicas, garantia bancária de boa execução e garantia bancária de bom recebimento. Apresentou ainda um modelo de grelha de facturação que deverá ser aplicada pelas empresas de instalação.

No contexto da intervenção anterior, Vilatino Canas (Vilatino Canas Associados), conhecido Jurista, em representação da Associação APIEE, evidenciou as medidas a tomar pelo instalador, sobretudo na qualidade de subempreiteiro, defendendo o direito de retenção, como forma de acautelar incumprimentos por parte do empreiteiro geral, o qual, afirma, quando este age de “boa fé” não se opõe a isso. Realçou ainda a situação injusta do acesso vedado pela legislação dos subempreiteiros ao estatuto de empreiteiro geral. Vitalino Canas defendeu que as Associações deveriam criar regras de conduta a seguir pelos seus Associados, por forma defender os seus interesses.

O tema seguinte “Orçamento das instalações de obras de AVAC” teve uma primeira abordagem por parte de Manuel Rodrigues (Politérmica) da Comissão de Instaladores, que alertou para factores de orçamentação que não são normalmente salvaguardados pelas empresas. Para sustentar estas preocupações, tivemos a visão do economista João Lobão (J.P. Lobão), que realçou um aspectos menos visíveis da actividade e que têm forçosamente de ser considerados na orçamentação sob pena de no final da obra esta vir a gerar resultados negativos, deu como exemplos os custos de estrutura e os custos financeiros.

Da parte da tarde seguiu-se o tema da “Responsabilidade do Instalador face à legislação e regulamentação do sector”, apresentada por José Dias Caetano (Departamento Técnico da APIRAC), que realçou os aspectos mais subtis da legislação técnica. Este tema foi sustentado pela visão jurídica de Raquel Freitas (Cuatrecasas, Gonçalves Pereira, RL).

Coube a José Ribeiro (Nuno Strothmann & Ribeiro), da Comissão de Instaladores a apresentação seguinte, detalhando a participação da APIRAC como membro na associação europeia de instaladores, a AREA - Air Conditioning and Refrigeration European Association, com destaque para alguns assuntos de actualidade como o da certificação dos técnicos, e a intenção futura de que as máquinas de ar condicionado, do tipo “spilt” sejam fornecidas pelos fabricantes sem fluido frigorigéneo, de modo a evitar-se por um lado que as mesmas possam ser montadas por curiosos e por outro a minimizar o risco de fugas de fluido frigorigéneo, antes e durante a montagem. A aquisição dos fluidos frigorigéneos apenas por técnicos credenciados é outro dos objectivos em discussão.

Seguiu-se a visão bancária e financeira. Primeiro por Luísa Teixeira do BCP Millennium (Unidade de Gestão Clientes Negócios) na óptica das garantias de boa execução e de bom recebimento, com uma abordagem prévia aos serviços bancários do Banco. Chamou a atenção para a importância que deve ter a indicação nas garantias bancárias do seu objecto, exemplificando o caso dos contratos de empreitada de construção. Depois por parte de Pedro Seabra (Garval-Garantia Mútua-Director Comercial) que informou sobre os serviços prestados pela Garval, nomeadamente no apoio ao investimento e na prestação de garantias financeiras que assegurem às empresas as obrigações assumidas perante terceiros, com a vantagem de aliviarem a apresentação de garantias reais por parte das empresas e seus representantes.

Depois de um debate sobre os temas abordados, procedeu-se ao encerramento dos trabalhos por parte de Ivo Barreto (Presidente da APIEE), que salientou a Inovação como um novo capítulo da construção/instalação, como forma das empresas progredirem e enfrentarem a actual crise económico-financeira. O Presidente da Mesa deixou ainda o desejo de que se repita para o próximo ano um novo Encontro Nacional de Instaladores por ser de grande importância para o Sector.

    José Dias Caetano
Departamento Técnicol | APIRAC
     
   
   

Expo 2010 Shanghai

   

ADENE promove soluções nacionais de eficiência energética na China

 

Empresas portuguesas apresentam, na China, soluções nacionais de eficiência energética para tornar as cidades mais inteligentes e reduzir as emissões de CO2. A Agência para a Energia - ADENE promove, na Expo 2010 Shanghai, uma conferência com a participação de responsáveis da EDP e da Janz, para impulsionar a exportação de tecnologia das redes inteligentes (smartgrids).

As redes inteligentes assumem um papel importante na implementação das energias renováveis, da eficiência energética e dos veículos eléctricos. O  projecto da EDP, designado por InovGrid, é um dos mais avançados a nível europeu. A conferência conta ainda com a participação Janz, que  apresenta uma solução de medição inteligente de energia, os contadores inteligentes "energy box".

A conferência é promovida pela ADENE e pelo Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento e insere-se no âmbito da terceira semana temática da Energia, com o tema “Edifícios sustentáveis e cidades inteligentes”, que decorre entre 14 e 16 de Julho, no Centro de Negócios do Pavilhão de Portugal, na Expo 2010 Shanghai.

Nos próximos dias, a semana da Energia vai abordar ainda temas relacionados com novos materiais, como a apresentação de produtos eco eficientes e inovadores e algumas soluções como a cortiça ou a cobertura fotovoltaica (solar tiles), que podem ser usados em novos edifícios ou num contexto de reabilitação. O tema final prende-se com a microgeração, contando com a apresentação de soluções de aquecimento e arrefecimento solar térmico, e ainda com a medição da eficiência energética nos edifícios, o caso do simulador CasA+.

A semana da Energia enquadra-se no tema do Pavilhão de Portugal “uma praça para o mundo e um mundo de energias”, enquadrado na temática da Expo 2010 “Better City, Better Life” (Melhores Cidades, Melhor Qualidade de Vida).

Fonte: ADENE

   
   

Minigeração com novas medidas

     
 

As escolas, os mercados abastecedores, as autarquias e as IPSS vão ser alvo de programas específicos para produção de energia de forma descentralizada, em regime de minigeração. No prazo de 60 dias, será aprovado na Assembleia da República, o diploma legal que irá regular este segmento, que recebe uma quota de produção de 500 MW até 2020.

O acesso e a actividade de minigeração deverão funcionar “em moldes similares aos previstos para a microprodução, nomeadamente, no respeitante à simplificação e desmaterialização dos procedimentos e à existência de um regime remuneratório bonificado que se mantenha em linha com a realidade e evolução dos custos associados à instalação de equipamentos de miniprodução”, adianta a resolução ministerial.

O Governo vai estabelecer como critérios de atribuição do direito ao acesso ao regime bonificado, a aplicação de medidas de eficiência energética. A actividade de minigeração irá funcionar num regime de acesso aberto para que as entidades que prestem serviços aos consumidores na área da eficiência energética possam ser abrangidas.

Fonte: Ambienteonline

   
   

Incentivos

   

Só para carros eléctricos de valor inferior a 50 mil euros

 

Já se sabia quais os montantes dos incentivos dados pelo Governo no âmbito do programa de mobilidade eléctrica, mas só agora foram publicados os moldes em que esses montantes vão ser atribuídos.

Segundo a portaria 468/2010, os incentivos serão concedidos aos veículos que tenham um preço de venda ao público inferior a 50 000 euros, incluindo as respectivas baterias e impostos. Os veículos têm que ser comprados por um contribuinte singular e não usados para fins comerciais. Apenas serão considerados, segundo o Governo, veículos da categoria M1, concebidos para o transporte de passageiros com oito lugares sentados no máximo, para além do lugar do condutor, que sejam de propulsão exclusivamente eléctrica e disponham de baterias com uma autonomia total mínima de 120 km.

Há dois subsídios disponíveis: um no valor de 5 000 euros, para a aquisição de veículos eléctricos novos, e outro de 1 500 euros, no caso de haver simultaneamente abate de veículo automóvel de combustão interna.

Fonte: Ambienteonline

   
   

Incentivos

   

QREN agiliza investimento das empresas

 

O Primeiro-Ministro, José Sócrates, acompanhado pelo Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Vieira da Silva, presidiu, em Santa Maria da Feira, à apresentação da Estratégia para a Aceleração da Execução de Projectos Empresariais no âmbito do QREN, um conjunto de 12 medidas de financiamento, simplificação e novos concursos, das quais se destacam a criação da Linha de Crédito QREN-Investe, no valor de 800 milhões de euros, a disponibilização de novos Fundos de Capital de Risco para permitir o acesso das empresas com projectos de investimento ao reforço dos capitais próprios, e um conjunto de medidas de simplificação processual.

   
   

Incentivos à micro e mini produção eléctrica e aos biocombustíveis

   

 

 
O Conselho de Ministros de 8 de Julho aprovou um conjunto de diplomas na área da energia, na sequência da aprovação da Estratégia Nacional da Energia: Decreto-Lei que revê o regime jurídico da microprodução de electricidade em baixa tensão por particulares, incentivando a produção de mais electricidade em baixa tensão, até ao limite de 25MW. Resolução que enquadra a miniprodução descentralizada de energia, destacando-se o lançamento programas de miniprodução de modo a permitir que entidades como escolas, mercados abastecedores, autarquias e IPSS possam produzir energia, até uma quota que ascenderá progressivamente aos 500MW até 2020. Decreto-Lei, aprovado na generalidade, que promove a utilização de biocombustíveis para o sector dos transportes, regulamentando o mecanismo de apoio à sua introdução no mercado. Decreto-Lei, aprovado na generalidade, que extingue as tarifas reguladas de venda de electricidade a clientes domésticos finais com potência contratada inferior a 41,04KW, a partir de 1 de Janeiro de 2011.

   
   

Manómetro digital para aplicações duras em sistemas de refrigeração e bombas de calor

   

Poupe tempo no serviço, manutenção e intervenção

 

Especialmente nos campos do serviço e da manutenção, mas também em sistemas de intervenção, o tempo é dinheiro. Futuramente, o novo manómetro digital do especialista em tecnologia de medição Testo AG permitirá poupar tempo nas medições e é uma alternativa de baixo custo em relação aos manómetros analógicos utilizados anteriormente.

O testo 550 mede a alta e baixa pressão, de forma rápida e precisa e calcula automaticamente as temperaturas de condensação e evaporação. O visor com excelente iluminação permite uma leitura rápida e fácil dos valores de medição. Há 30 refrigerantes armazenados no instrumento, que podem ser facilmente seleccionados através de uma tecla directa.



As duas entradas de temperatura (NTC) permitem o cálculo e visualização do sobreaquecimento e subarrefecimento, em simultâneo. Inclui uma sonda tipo pinça para medições de temperatura rápidas e fáceis em pontos de condensação e evaporação.

Utilização de confiança

O manómetro electrónico testo 550 informa o utilizador do vácuo atingido no sistema de evacuação. Além disto, o teste de fugas com compensação de temperatura do sistema pode ser feito utilizando o instrumento. Ao medir a pressão do sistema e a temperatura ambiente por um determinado período de tempo, os utilizadores podem fazer um relatório sobre o teste de fugas do sistema – permitindo que a intervenção seja feita, com confiança, com o testo 550.

     
   
   

Formação Modular Certificada - GRATUITA

   

 

 

A Formação Modular Certificada apresenta-se como um instrumento flexível e diversificado da oferta de formação contínua de activos, obedecendo e sendo desenvolvida segundo percursos de dupla certificação, com base no Catálogo Nacional de Qualificações (CNQ).

Destina-se a Adultos com idade igual ou superior a 18 anos, activos empregados, desempregados ou em risco de desemprego.

Vantagens

  1. Oferta Formativa Individualizada que pressupõe a frequência de unidades de formação de curta duração, de 25 ou 50 horas, em função das necessidades do candidato;
  2. Articulação com o processo de RVCC desenvolvido pelos Centros de Novas Oportunidades;
  3. Elevar os níveis de qualificação dos adultos, incrementando a competitividade das empresas;
  4. Possibilita o aperfeiçoamento e desenvolvimento profissional específico numa determinada área, promovendo a sua valorização em termos de conhecimentos e competências adquiridas, constituindo-se um complemento a outros projectos formativos;
  5. Permite responder às exigências legais no que respeita à Formação Profissional anual obrigatória para os trabalhadores das empresas;
  6. Possibilita o acesso gratuito, com a atribuição uma bolsa diária equivalente ao valor do subsidio de alimentação.

Neste âmbito, a APIEF (Centro de Formação de Lisboa, Porto e Guimarães) disponibiliza aos seus Associados e clientes individuais externos Formação Modular Certificada de nível 2 e 3 da componente tecnológica, constantes nos referenciais do CNQ, enquadradas nas áreas da Refrigeração, Climatização, Sistemas Solares Térmicos, Instalações Eléctricas, Electrotecnia, Soldadura e Ciências Informáticas (sugerimos a consulta do nosso site: www.apief.pt).

Alguns Destaques:

NOTA: Os interessados no aproveitamento das Novas Oportunidades deverão mencionar no CNO (Centro de Novas Oportunidades) onde iniciem o processo de RVCC por via do Protocolo existente entre a APIEF e a ANQ.

   
   

Selecciona-se Formador na área de Refrigeração e AVAC

   

LISBOA

 

A APIEF no âmbito da sua actividade pretende alargar e actualizar a sua bolsa de Formadores, tendo em vista o desenvolvimento de acções de formação. Para tal, aceitam-se candidaturas de Formadores na componente teórica e prática da seguinte área:

Refrigeração e Climatização - Componente Oficinal, incluindo Brasagem de Tubo de Cobre.

Requisitos:
Competências Técnico Profissionais (dominar a área de actividade, quer no domínio técnico quer tecnológico);
Competências Pedagógicas (Obrigatoriedade de CAP);
Competências Sociais e Relacionais (Capacidade de comunicação, adaptação e relacionamento interpessoal; dinamismo e criatividade; espírito de equipa).

Para o efeito os interessados deverão proceder ao envio de uma ficha de Formador, disponível no “site”, curriculum vitae detalhado, datado e assinado, fotocópia simples do CAP, fotocópia do Bilhete de Identidade e outra documentação comprovando a posse habilitações literárias e profissionais, devendo indicar a refª DP/REF_07/2010 até dia 29 de Julho de 2010.

E-mail: geral@apief.pt

As candidaturas serão tratadas com a máxima confidencialidade.

   
     
   
     

» LISBOA
Isabel Fonseca
Tel: 213 224 265
Telm: 967 830 953
Fax: 213 474 576
formacao@apirac.pt
formacao@apief.pt

» PORTO
Dra. Patrícia Maia
Tel: 222 088 837
Telm: 964 942 932
Fax: 213 474 576
apirac.porto@apirac.pt
formacao.porto@apief.pt

» GUIMARÃES
Dra. Maria José
Tel: 253 554 288
Telm: 967 446 860
Fax: 213 474 576
apirac.guimaraes@apirac.pt
formacao.guimaraes@apief.pt

 


     
   
   

Gelo Seco

   

Poupe tempo no serviço, manutenção e intervenção

 

 

Como sabemos, o gelo seco é CO2 em estado sólido. É feito a partir de dióxido de carbono, reduzindo a pressão e temperatura de forma controlada que o converte numa espécie de neve de CO2 limpa, branca e a muito baixa temperatura. Esta neve é então comprimida a alta pressão para formar pellets (cilindros de 4 a 7cm de comprimento e 1,6cm de diâmetro), pastilhas (de 1kg) ou blocos (de 10 a 12kg).

Embora parecido com o gelo de água, o gelo seco tem propriedades completamente distintas, a sua temperatura é constante, -78ºC, é asséptico, inodoro e sem sabor, passando directamente do estado sólido para o estado gasoso (sublimação). Tendo em consideração o seu volume, tem uma capacidade de arrefecer 3,3 vezes maior que o gelo de água. É de fácil utilização e, conforme as utilizações, geralmente, nem são necessárias grandes quantidades, pois à pressão atmosférica normal liberta 150 kcal/kg (em estado liquido só pode existir a pressões muito elevadas).

Esta tecnologia dá uma resposta rápida e eficaz às necessidades imediatas de frio e de conservação e pode ser utilizado em numerosas outras aplicações. Para além de ter excelentes características frigoríficas é com muita frequência utilizado no transporte de produtos perecíveis, nas indústrias pesqueira e de carnes, para arrefecimento e congelação rápidas, é também muito utilizado no sector médico-hospitalar (transporte de órgãos, transporte de vacinas, bancos de sangue, bancos de sémen), tendo ainda muitas outras aplicações nos mais variados campos, na limpeza de substâncias gordurosas, na investigação e até na criação de ambientes para entretenimento.

Se quiser saber um pouco mais sobre o assunto clique aqui.

Boa viagem!

     
   
    Datas para pagamento de impostos
     
   

     
   
    Assembleia da República
     
   

Resolução da Assembleia da República n.º 64/2010, de 09 de Julho - Iniciativas Emprego 2009 e 2010.

   

   

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

     
   

Portaria n.º 474/2010 de 07 de Julho - Estabelece o modelo de certificado de formação profissional que, no âmbito do Sistema Nacional de Qualificações, se destina a certificar a conclusão com aproveitamento de uma acção de formação certificada não inserida no Catálogo Nacional de Qualificações.

   
   

Portaria n.º 353/2010, de 21 de Junho - Procede à revogação das medidas transitórias e excepcionais inseridas no âmbito do Programa Qualificação Emprego instituídas para o ano de 2010.

   
   

Decreto-Lei n.º 72/2010, de 18 de Junho - Estabelece medidas para reforçar a empregabilidade dos beneficiários de prestações de desemprego e o combate à fraude, procedendo à terceira alteração ao Decreto-Lei n.º 220/2006, de 3 de Novembro, e à quarta alteração ao Decreto-Lei n.º 124/84, de 18 de Abril.

   
   

Ministérios do Trabalho e da Solidariedade Social e da Educação

     
   

Portaria n.º 475/2010, de 08 de Julho - Aprova o modelo da caderneta individual de competências e regula o respectivo conteúdo e o processo de registo no regime jurídico do Sistema Nacional de Qualificações, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 396/2007 de 31 de Dezembro.

   
   

Ministérios das Finanças e da Administração Pública, da Economia, da Inovação e do desenvolvimento e das Obras Públicas, Transportes e Comunicações

     
   

Portaria n.º 468/2010, de 07 de Julho - Estabelece os termos em que são concedidos os incentivos financeiros à aquisição de veículos novos exclusivamente eléctricos previstos no artigo 38.º do Decreto-Lei n.º 39/2010, de 26 de Abril.

   
   

Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento

     
   

Portaria n.º 456/2010, de 01 de Julho - Estabelece os requisitos técnicos e financeiros a que fica sujeita a atribuição de licença para o exercício da actividade de comercialização de electricidade para a mobilidade eléctrica, bem como algumas regras procedimentais aplicáveis à instrução do respectivo requerimento.

   
   

Ministérios da Defesa Nacional e do Ambiente e do Ordenamento do Território

     
   

Portaria n.º 342/2010, de 18 de Junho - Procede à identificação das praias marítimas e das praias de águas fluviais e lacustres qualificadas como praias de banhos para o ano de 2010.

   
   

Ministério das Finanças e da Administração Pública

     
    Portaria n.º 467/2010, de 07 de Julho - Define o custo de aquisição ou o valor de reavaliação das viaturas ligeiras de passageiros ou mistas.
   
   

Decreto-Lei n.º 72/2010, de 18 de Junho - Estabelece as normas de execução do Orçamento do Estado para 2010.

   

 

   
    APIEF
    Estágios Profissionais em Empresas do SECTOR, GRATUITOS e SEM ENCARGOS
 

» Sistema Aprendizagem - Colocação de formandos em Entidades de Apoio à Alternância

A APIEF – Centro de Formação Profissional de Indústria Térmica, Energia e Ambiente, na sequência do protocolo estabelecido com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a APIRAC - Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado, aguardam candidaturas das empresas para colocação de Formandos na vertente:

As empresas interessadas em receber formandos, queiram por favor contactar ou através de e-mail formacao@apirac.pt ou através do n.º de telefone 213 224 260, de forma a registarmos o vosso interesse.

     
   
     
   

PORTUGALEXPO – 2ª Feira de Equipamentos, Produtos e serviços de Portugal, em Casablanca, Marrocos.

    EXPOSALÃO, Marrocos | 29 de Setembro a 02 de Outubro de 2010

 

Após o sucesso da 1ª edição em 2009, a ExpoSalão regressa a Casablanca, Marrocos, para promover a Feira PORTUGAL EXPO, da quarta-feira 29 de Setembro a sábado 2 de Outubro 2010.

Organizada pela ExpoSalão, a PORTUGAL EXPO é uma feira multissectorial de carácter profissional, onde marcarão presença empresas nacionais que pretendam expandir os seus negócios para o mercado marroquino, mercado de comprovada importância para a economia nacional.

Para mais informações não hesite em contactar-nos

Andreia Carvalho | ExpoSalão, S.A.
Tel. +351 244 769 480 | Fax +351 244 767 489
www.exposalao.pt

   
   

5ª EXPO ENERGIA 2010

    Lisboa | 09 a 11 de Novembro de 2010

 

No ano da apresentação da Estratégia Nacional para a Energia 2020, do arranque da primeira rede eléctrica inteligente em Portugal, da elaboração do Plano de Acção para as Energias Renováveis e revisão do Plano da Acção para a Eficiência Energética, a Expo Energia 2010 centra-se na Eficiência Energética como peça chave para a independência e sustentabilidade energética do país, e nos aspectos fundamentais a esta associados, como a energia inteligente e a inovação.

Mais informações:
Tel: +351 218 806 136 | Fax: +351 218 806 137
www.expoenergia2010.about.pt

     
   
    Se pretender fazer um coméntário ou deixar-nos a sua opinião, clique aqui!
     
 

Patrocinadores Newsletter