A APIRAC tem procurado promover o desenvolvimento de ambiente legal e regulamentar favorável em ordem a assegurar uma concorrência sã, o desenvolvimento sustentado do Sector, fomentar a competitividade, promovendo o desenvolvimento económico do país e a qualidade e satisfação dos utilizadores de bens e serviços transaccionados.

Em 2011, a APIRAC propõe-se continuar a reforçar o seu posicionamento como uma Associação aberta e representativa de todos os agentes económicos do Sector, capaz de mobilizar empresas, recursos e investimento. Acreditamos ser este objectivo de primordial importância no actual contexto económico, pois só assim poderá o desenvolvimento do sector da Climatização e da Refrigeração constituir um pilar importante de competitividade.

Pretende-se neste exercício dar continuidade às múltiplas áreas de intervenção da APIRAC desenvolvidas ao longo dos últimos anos e que abrangem temas muito relevantes para o Sector, como por exemplo a revisão legislativa relativa ao Sistema de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior em Edifícios.

Adicionalmente, e a exemplo do que ocorreu em anos anteriores, será possível a introdução de novas áreas de intervenção em função das necessidades da agenda política, legislativa e regulatória do Sector, nomeadamente a promoção da actividade do CENTERM – Centro Tecnológico para a Indústria Térmica, Energia e Ambiente.

A implementação do Sistema Nacional de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior nos Edifícios, (SCE), a regulamentação Nacional e Comunitária respeitante às Substâncias que empobrecem a Camada de Ozono e aos Gases Fluorados com Efeito de Estufa, bem como mais recentemente a directiva relativa à promoção da utilização de energia proveniente de fontes renováveis vieram impor ao sector do AVAC&R um acréscimo de competências exigidas aos seus técnicos, implicando a sua Credenciação/ Certificação obrigatória.

Esta obrigatoriedade reflecte-se necessariamente nas empresas, que terão forçosamente que investir na Certificação dos seus colaboradores a operar no terreno. Pese embora o esforço financeiro que estas obrigações possam trazer, será este um passo para marcar a diferenciação, promovendo a competitividade e contribuindo para a regulação de um sector com a especificidade do AVAC&R.

Neste contexto, a instituição de uma entidade que possa vir a ser reconhecida pela Tutela e pelo Mercado e integre o Sistema Científico Tecnológico Nacional reverte-se de visíveis vantagens, procurando-se o estabelecimento de parcerias em projectos de investigação e actividades de prestação de serviços a realizar em conjunto ou autonomamente, em áreas de interesse sectorial, designadamente que promovam a transferência de competências científico-tecnológicas para as empresas do mercado representado pela APIRAC.

    Nuno Roque
Secretário-Geral
     
   
   

Electricidade a partir de renováveis cresceu 66% em 2010

     
 

O total da potência instalada renovável atingiu 9 405 MW, no final de Outubro de 2010, de acordo com a Direcção-Geral de Energia e Geologia (DGEG). O aumento de potência, relativamente a Setembro, verificou-se na potência instalada eólica, fotovoltaica e mini-hídrica.

A produção total de energia eléctrica, a partir de fontes de energias renováveis, registou um acréscimo de 66 por cento de Janeiro a Outubro deste ano, relativamente ao igual período do ano anterior.

Segundo as estatísticas da DGEG, continua a verificar-se um ligeiro abrandamento do crescimento da produção devido, essencialmente, ao comportamento da sua componente hídrica, que regista um crescimento de 35 por cento de Julho a Outubro relativamente ao período homólogo do ano anterior. Assim, registam-se decréscimos na produção das bacias do Mondego (-25 por cento) e Lima (-21 por cento) neste período.

A produção eólica, de Janeiro a Outubro do ano em curso, cresceu 32 por cento quando comparado com 2009. Em Outubro a produção foi 13 por cento superior à verificada no mês homólogo do ano anterior.

Entre Setembro e Outubro a produção eólica cresceu de forma acentuada de acordo com a sazonalidade.

Font: Ambienteonline

   
   

S. Pedro de Moel produz energias das ondas em 2013

     
 

O projecto de exploração de energia a partir de ondas marítimas vai fazer de São Pedro de Moel, na Marinha Grande, uma zona piloto, não num campo experimental, mas «num contexto para a sua viabilidade comercial», aproximadamente, «dentro de 10 anos», afirmou o ministro da Economia, Vieira da Silva, na cerimónia de assinatura do contrato de concessão, em Outubro passado.

No entanto, o projecto deverá começar a produzir os primeiros megawatts de electricidade dentro de dois anos. Para o ministro da Economia, a energia das ondas «é uma aposta que se vai inserir no desafio de reduzir sistematicamente a dependência energética do exterior e de estar na primeira fila da inovação energética», salientou, não definindo, para já, objectivos, mas manifestando a ambição de colocar nas casas dos portugueses electricidade produzida a partir da energia das ondas.

O projecto de S. Pedro de Moel deverá custar à REN – Redes Eléctricas Nacionais cerca de 10 milhões de euros, cabendo depois aos próprios investidores o financiamento da aplicação das suas ideias e a captação de apoios. «Não se trata de investimento público, mas da concessão do espaço para se poder vir a comercializar a energia», afirmou Vieira da Silva, adiantando que, dependendo dos resultados da zona piloto, «haverá a possibilidade» de vir a instalar projectos «noutras zonas».

Font: Portal Nacional do Censelho de Leiria

   
   

Energia: Meta de 31% em renováveis até 2020 publicada em DR

     
 

A meta do Governo de que 31 por cento da energia utilizada em 2020 deverá ser proveniente de fontes renováveis foi hoje consagrada em Diário da República (DR).

O documento transpõe para a legislação portuguesa uma directiva europeia que promove a utilização de energia proveniente de fontes renováveis, como por exemplo o vento e o sol.

Para o período entre 2011 e 2020 estão definidas diferentes metas intercalares: entre 2011 e 2012 a meta é de 22,6 por cento, para 2013 e 2014 o número sobre para 23,7 por cento, para os dois anos seguintes situa-se nos 25,2 por cento e para o período 2017-2018 a meta é de 27,3 por cento.

Fonte: RTP

   
   

Entrega das Declarações de Remunerações à Segurança Social

     
 

A partir do próximo dia 1 de Janeiro, por força da entrada do novo Código Contributivo, são alteradas as datas e o modo de entrega das declarações de remunerações bem como de pagamento das quotizações e contribuições. Assim, relativamente ao regime dos trabalhadores por conta de outrem, o Código Contributivo estabelece que as declarações de remunerações passam a ser mensalmente entregues até dia 10 e pagas até ao dia 20.

No entanto, a Segurança Social já alertou que em Janeiro 2011, as declarações de remunerações relativas ao mês/referência Dezembro de 2010, continuam a ser entregues e pagas até dia 15 de Janeiro de 2011.

Desta forma, apenas em Fevereiro de 2011 se aplicarão os novos prazos de entrega das Declarações de Remunerações bem como de pagamento das quotizações e contribuições. Assim, as declarações de remunerações relativas ao mês/referência Janeiro de 2011, são entregues até dia 10 e pagas até ao dia 20 de Fevereiro de 2011.

Modo de entrega das declarações
A partir de Fevereiro de 2011, a entrega das Declarações de Remunerações passa a ser feita obrigatoriamente através da Segurança Social Directa Segurança Social Directa, até dia 10 do mês seguinte àquele a que as mesmas dizem respeito. Apenas as pessoas singulares entidades empregadoras com apenas um trabalhador ao serviço, podem continuar a entregar as declarações de remunerações em suporte papel.

   
   

Valor do Salário Mínimo em 2011

     
 

Foi publicado o valor da retribuição mínima mensal garantida (RMMG) para o ano de 2011. Este valor da RMMG, mais conhecido por salário mínimo, que se aplica a todas as actividades, tem a partir de amanhã, dia 1 de Janeiro, o valor de 485 euros. Em Dezembro de 2006, o Governo assinou um acordo com os parceiros da Comissão Permanente de Concertação Social (representantes do comércio, indústria, serviços, agricultura, turismo e dos sindicatos), cujo objectivo era que em 2011 o salário mínimo atingisse o valor de 500 euros. O valor actualmente fixado fica aquém daquele montante, mas o Governo comprometeu-se a revê-lo novamente em Maio e Setembro, e caso a situação económica do país assim o permita e se existir acordo com os parceiros sociais, deverá fixar 500 euros mensais após a segunda revisão do valor.

Relativamente à RMMG a praticar nos Açores, o Governo Regional já aprovou o montante da remuneração complementar regional para o ano de 2011, que corresponde a 2,1% e que acresce ao valor fixado para o Continente. Assim, a RMMG nos Açores em 2011 corresponderá para já a 495,19 euros. Se a RMMG aplicável no continente for aumentada terá de ser efectuada a respectiva actualização da RMMG nos Açores.

O valor da RMMG não inclui subsídios, prémios ou outras prestações de atribuição acidental ou por períodos superiores ao mês.

No entanto, no montante da RMMG é incluído o valor de prestações em espécie, nomeadamente a alimentação e o alojamento cuja atribuição seja devida ao trabalhador como contrapartida do seu trabalho normal, desde que respeitadas as percentagens legais máximas que a lei prevê para este tipo de prestações, comissões sobre vendas ou prémios de produção, e gratificações que sejam consideradas como retribuição.

Existem duas situações em que é permitido à empresa pagar um valor inferior à RMMG a um trabalhador a tempo inteiro:

  • se o trabalhador for praticante, aprendiz, estagiário em situação caracterizável como formação certificada, a empresa pode reduzir em 20% o montante do salário mínimo; se o trabalhador tiver um curso técnico-profissional ou um curso efectuado no sistema de formação profissional que o habilite para a profissão, esta redução apenas pode ser efectuada por um período de seis meses; nos restantes casos, esta redução pode durar por um período máximo de um ano;
  • se o trabalhador tiver uma capacidade de trabalho diminuída - esta redução deve exprimir a diferença entre a capacidade plena e o coeficiente da capacidade efectiva do trabalhador para desempenhar a actividade contratada; se a diferença for superior a 10%; nestes casos a redução nunca pode ser superior a 50%. A certificação do coeficiente de capacidade efectiva é feita a pedido do trabalhador ou de empregador, pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) ou pelos serviços de saúde.
   
   

Códigos do IVA

   

 

 

Com a aprovação do Orçamento de Estado para 2011 no dia 31 de Dezembro através da Lei nº 55-A / 2010, surgem várias alterações no quadro fiscal, entre as quais a merecer destaque as alterações ao Código do Imposto sobre o Valor Acrescentado.

Alteração dos artigos 18º e 49º do CIVA.

  • A taxa normal do IVA no continente passa de 21% para 23%.
  • A taxa normal do IVA nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira passa de 15% para 16%.

    Taxas do IVA no continente a partir de 01/01/2011:
    Taxa reduzida: 6%

    Taxa Intermédia: 13%
    Taxa Normal: 23%
    Taxas do IVA nas regiões Autónomas Açores e Madeira a partir de 01/01/2011:
    Taxa reduzida: 4%
    Taxa Intermédia: 9%
    Taxa Normal: 16%
    Para além da alteração da taxa normal, foram reformuladas as listas que contêm produtos a que se aplicam as taxas reduzida e Intermédia no sentido do seu agravamento fiscal, embora sem relevância no âmbito da actividade do nosso Sector.

   
   

Técnico Superior de Segurança e Higiene no Trabalho - Niveis 3 e 5

   

Abertas as inscrições

 

 




     
   
 

HORÁRIO DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO PARA INFORMAÇÕES - Isabel Fonseca | isabel.fonseca@apirac.pt
2ª F - 11H00 às 13H00
3ª F a 6ª F - 11H00 às 13H00 e das 15H00 às 18H00

ENVIO DE DOCUMENTAÇÃO RELATIVA A INSCRIÇÕES NOS CURSOS - Laura Valente | laura.valente@apirac.pt

HORÁRIO DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO PARA INFORMAÇÕES - Dra. Patrícia Maia | patricia.maia@apief.pt
2ª F a 6ª F- 09H00 às 12H30 e das 14H00 às 18H00



ENVIO DE DOCUMENTAÇÃO RELATIVA A INSCRIÇÕES NOS CURSOS
- formacao.porto@apief.pt

HORÁRIO DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO PARA INFORMAÇÕES - Dra. Anabela João| anabela.joao@apief.pt
2ª F a 6ª F- 09H00 às 12H30 e das 14H00 às 18H00



ENVIO DE DOCUMENTAÇÃO RELATIVA A INSCRIÇÕES NOS CURSOS
- formacao.guimaraes@apief.pt

» LISBOA
Isabel Fonseca
Tel: 213 224 265
Telm: 967 830 953
Fax: 213 474 576
formacao@apirac.pt
formacao@apief.pt

» PORTO
Dra. Patrícia Maia
Tel: 222 088 837
Telm: 964 942 932
Fax: 213 474 576
apirac.porto@apirac.pt
formacao.porto@apief.pt

» GUIMARÃES
Dra. Maria José
Tel: 253 554 288
Telm: 967 446 860
Fax: 213 474 576
apirac.guimaraes@apirac.pt
formacao.guimaraes@apief.pt

 


     
   
    Datas para pagamento de impostos
     
   

     
   
   

Ministério das Finanças e da Administração Pública

     
   

Portaria n.º 1298/2010. D.R. n.º 245, Série I de 2010-12-21 - Aprova as instruções de preenchimento da declaração modelo n.º 10 do IRS e do IRC.

   

   

Portaria n.º 1303/2010. D.R. n.º 246, Série I de 2010-12-22 - Aprova os modelos de impressos a que se refere o n.º 1 do artigo 57.º do Código do IRS.

   
   

Decreto-Lei n.º 134/2010. D.R. n.º 249, Série I de 2010-12-27 - Altera o Código do IVA e o Regime do IVA nas Transacções Intracomunitárias, ao abrigo da autorização legislativa constante do artigo 129.º da Lei n.º 3-B/2010, de 28 de Abril, e transpõe o artigo 3.º da Directiva n.º 2008/8/CE, do Conselho, de 12 de Fevereiro, a Directiva n.º 2009/69/CE, do Conselho, de 25 de Junho, e a Directiva n.º 2009/162/UE, do Conselho, de 22 de Dezembro.

   
   

Decreto-Lei n.º 137/2010. D.R. n.º 250, Série I de 2010-12-28 - Aprova um conjunto de medidas adicionais de redução de despesa com vista à consolidação orçamental prevista no Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) para 2010-2013.

   
   

Portaria n.º 1315/2010. D.R. n.º 250, Série I de 2010-12-28 - Determina quais as actividades económicas que podem ser objecto das operações de microcrédito bem como os montantes máximos dos respectivos financiamentos.

   
   

Portaria n.º 1330/2010. D.R. n.º 253, Série I de 2010-12-31 - Fixa o valor médio de construção por metro quadrado para vigorar em 2011.

   
   

Portaria n.º 1331/2010. D.R. n.º 253, Série I de 2010-12-31 - Aprova as instruções de preenchimento da declaração modelo n.º 39, «Rendimentos e retenções a taxas liberatórias», aprovado pela Portaria n.º 454-A/2010, de 29 de Junho.

   
   

Portaria n.º 4-A/2011. D.R. n.º 1, 2.º Suplemento, Série I de 2011-01-03 - Regulamenta os termos e a tramitação do parecer prévio vinculativo dos membros do Governo responsáveis pelas áreas das finanças e da Administração Pública.

   
   

Ministério das obras Públicas, Transportes e Comunicações

     
   

Decreto-Lei n.º 133/2010. D.R. n.º 246, Série I de 2010-12-22 - Revê o peso e a altura máxima de determinados veículos, alterando o Regulamento Que Fixa os Pesos e as Dimensões Máximos Autorizados para os Veículos em Circulação, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 99/2005, de 21 de Junho.

   
   

Presidência do Conselho de Ministros - Centro Jurídico

     
   

Declaração de Rectificação n.º 38/2010. D.R. n.º 249, Série I de 2010-12-27 - Rectifica a Portaria n.º 1113/2010, de 28 de Outubro, dos Ministérios das Finanças e da Administração Pública e do Trabalho e da Solidariedade Social, que fixa os montantes do abono de família para crianças e jovens, do abono de família pré-natal e das respectivas majorações do segundo titular e seguintes, e situações de monoparentalidade, publicada no Diário da República, 1.ª série, n.º 210, de 28 de Outubro de 2010.

   
   

Ministérios das Finanças e da Administração Pública, da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, do Ambiente e do Ordenamento do Território, da Educação e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

     
   

Portaria n.º 1316/2010. D.R. n.º 250, Série I de 2010-12-28 - Aprova o Regulamento da Estrutura de Gestão do Plano Nacional de Acção para a Eficiência Energética.

   
   

Ministério da Saúde

     
   

Portaria n.º 1319/2010. D.R. n.º 250, Série I de 2010-12-28 - Estabelece as condições de atribuição do regime especial de comparticipação de medicamentos, no âmbito do Decreto-Lei n.º 70/2010, de 16 de Junho, que estabelece as regras para a determinação da condição de recursos a ter em conta na atribuição e manutenção das prestações do subsistema de protecção familiar e do subsistema de solidariedade, bem como para a atribuição de outros apoios sociais públicos, e procede às alterações na atribuição do rendimento social de inserção, tomando medidas para aumentar a possibilidade de inserção dos seus beneficiários, procedendo à primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 164/99, de 13 de Maio, à segunda alteração à Lei n.º 13/2003, de 21 de Maio, à quinta alteração ao Decreto-Lei n.º 176/2003, de 2 de Agosto, à segunda alteração ao Decreto-Lei n.º 283/2003, de 8 de Novembro, e à primeira alteração ao Decreto-Lei n.º 91/2009, de 9 de Abril.

   
   

Portaria n.º 1320/2010. D.R. n.º 250, Série I de 2010-12-28 - Actualiza a tabela das taxas moderadoras e revoga a Portaria n.º 34/2009, de 15 de Janeiro.

   
   

Presidência do Conselho de Ministros - Centro Jurídico

     
   

Declaração de Rectificação n.º 39/2010. D.R. n.º 251, Série I de 2010-12-29 - Rectifica a Portaria n.º 1303/2010, de 22 de Dezembro, do Ministério das Finanças e da Administração Pública, que aprova os modelos de impressos a que se refere o n.º 1 do artigo 57.º do Código do IRS, publicada no Diário da República, 1.ª série, n.º 246, de 22 de Dezembro de 2010.

   
   

Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento

     
   

Decreto-Lei n.º 141/2010. D.R. n.º 253, Série I de 2010-12-31 - No âmbito da Estratégia Nacional da Energia 2020, define as metas nacionais de energia renovável no consumo de energia final e transpõe parcialmente a Directiva n.º 2009/28/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 23 de Abril.

   
   

Ministérios da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento e do Trabalho e da Solidariedade Social

     
   

Portaria n.º 1334/2010. D.R. n.º 253, Série I de 2010-12-31 - Estabelece os procedimentos e as demais condições necessários à atribuição, aplicação e manutenção da tarifa social estabelecida no Decreto-Lei n.º 138-A/2010, de 28 de Dezembro.

   
   

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

     
   

Decreto-Lei n.º 143/2010. D.R. n.º 253, Série I de 2010-12-31 - Actualiza o valor da retribuição mínima mensal garantida para 2011.

   
   

Decreto Regulamentar n.º 1-A/2011. D.R. n.º 1, Suplemento, Série I de 2011-01-03 - Procede à regulamentação do Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social, aprovado pela Lei n.º 110/2009, de 16 de Setembro.

   
   

Assembleia da República

     
   

Lei n.º 55-A/2010. D.R. n.º 253, Suplemento, Série I de 2010-12-31 - Orçamento do Estado para 2011.

   
   

Ministérios das Finanças e da Administração Pública e da Administração Interna

     
   

Portaria n.º 1334-A/2010. D.R. n.º 253, 2.º Suplemento, Série I de 2010-12-31 - Aprova a tabela das taxas a cobrar pelos serviços prestados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária e revoga a Portaria n.º 1546/2008, de 31 de Dezembro.

   
   

Portaria n.º 1334-C/2010. D.R. n.º 253, 2.º Suplemento, Série I de 2010-12-31 - Aprova a tabela de taxas a cobrar pelos actos de secretaria prestados pelas entidades tuteladas pelo Ministério da Administração Interna.

   
   

Ministério da Administração Interna

     
   

Portaria n.º 1334-D/2010. D.R. n.º 253, 2.º Suplemento, Série I de 2010-12-31 - Aprova os modelos de certificado de registo de cidadão da União Europeia, de documento de residência permanente de cidadão da União Europeia, do cartão de residência de familiar de cidadão da União Europeia e as respectivas taxas a cobrar pela emissão desses documentos

   
   

Portaria n.º 1334-E/2010. D.R. n.º 253, 2.º Suplemento, Série I de 2010-12-31 - Fixa as taxas e os demais encargos devidos pelos procedimentos administrativos inerentes à concessão de vistos em postos de fronteira, à prorrogação de permanência em território nacional, à emissão de documentos de viagem, à concessão e renovação de autorizações de residência, à disponibilidade de escolta, à colocação de estrangeiros não admitidos em centros de instalação temporária e à prática dos demais actos relacionados com a entrada e permanência de estrangeiros no País.

   
   

Portaria n.º 1334-F/2010. D.R. n.º 253, 2.º Suplemento, Série I de 2010-12-31 - Primeira alteração à Portaria n.º 1424/2001, de 13 de Dezembro, que estabelece as condições e as taxas devidas pelo bloqueamento, remoção e depósito de veículos.

   

 

   
    APIEF
    Estágios Profissionais em Empresas do SECTOR, GRATUITOS e SEM ENCARGOS
 

» Sistema Aprendizagem - Colocação de formandos em Entidades de Apoio à Alternância

A APIEF – Centro de Formação Profissional de Indústria Térmica, Energia e Ambiente, na sequência do protocolo estabelecido com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a APIRAC - Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado, aguardam candidaturas das empresas para colocação de Formandos na vertente:

As empresas interessadas em receber formandos, queiram por favor contactar ou através de e-mail formacao@apirac.pt ou através do n.º de telefone 213 224 260, de forma a registarmos o vosso interesse.

     
   
     
   

Feira Climatizacion’ 2011

    Lisboa | 20 de Janeiro de 2011

 

Irá ter no lugar no próximo dia 20 de Janeiro de 2011, entre as 17H00 e 19H00, seguido de um Porto de Honra, a apresentação da Feira CLIMATIZACION’ 2011.

A edição de 2011 da Climatizacion constitui um ponto de encontro para uma indústria comprometida com a sustentabilidade do planeta, com um claro enfoque na eficiência energética, fornecimento de equipamentos e sistemas baseados em energia alternativa e com a preocupação de reduzir o impacto ambiental.

Sendo a edição deste ano focalizada na temática da Eficiência Energética, servirá esta conferência para os profissionais do Sector tomarem conhecimento não só da dinâmica do certame, mas também aproveitarem a oportunidade para assistirem a comunicações de dois ilustres oradores em temas da maior pertinência para a actividade, nomeadamente:

» 17H30  - Eng. Carlos Laia
– Física do Edifício, Edifícios Energia (quase) Zero.

» 18H00 - Prof. Eduardo Maldonado
– A nova EPDB, Concerted Action.

A Participação é GRATUITA, Inscreva-se já! Descarregue aqui a ficha de inscrição.

Contactos para informações sobre a conferência:
APIRAC - Departamento de Comunicação e Imagem
T +351 213 224 260 | F +351 213 474 576
E comunicacao-imagem@apirac.pt

   
   

CLIMAMED 2011

    Madrid, ESPANHA | 2 a 3 de Junho de 2011

 

Já na sua 6ª edição, o CLIMAMED’11 terá lugar em Madrid, Espanha, durante os dias 2 e 3 de Junho de 2011.

Estes são os 9 temas proposto para o Congresso:

  • Energia Solar Térmica e outras Energias Renováveis e suas aplicações aos Sistemas de Climatização
  • Eficiência Energética em Edifícios
  • Manutenção e Exploração de Edifícios
  • Impacto Ambiental e Protecção do Meio Ambiente
  • Qualidade do Ar Interior e Saúde
  • Sistemas de Ventilação
  • Parâmetros de Conforto: significado, aplicação e seu controlo
  • Qualidade das Instalações
  • Normalização e Regulamentação
Consultem o prospecto do evento, clicando aqui

Mais informações:
ATECYR - info@atecyr.org · Tel. 91 767 13 55 · Fax. 91 767 06 38
www.atecyr.org

     
   
    Se pretender fazer um coméntário ou deixar-nos a sua opinião, clique aqui!
   
Para remover clique aqui e escreva STOP.
 

Patrocinadores Newsletter