Por vezes chegam-nos comentários, tanto de Associados como de empresas do Sector não associadas, trazendo-nos preocupações quanto à concorrência ilegal por parte de empresas que não cumprem com a regulamentação em vigor e em particular com aquela que diz respeito aos alvarás (Decreto-Lei n.º 12/2004, de 09 de Janeiro, e respectivas portarias regulamentadoras). Este é um tema a que não se justifica dizer que a “ele” temos de voltar, porque em momento algum deixou de integrar a agenda associativa. Efectivamente, a preocupação central da APIRAC na defesa e protecção do Sector e das empresas que nele participam passa por elevar as condições de competitividade, a que é absolutamente inerente a melhoria das qualificações, de empresas e dos seus profissionais. Para o efeito, a APIRAC trabalha em proximidade com a tutela no sentido de promover instrumentos e medidas que elevem a qualidade dos bens e serviços, e bem assim o reconhecimento da actividade desenvolvida por parte das empresas pelo mercado. A esse respeito, nos 36 anos de actividade da Associação os últimos 10 foram demonstradores de um conjunto de melhorias.

Entre as parcerias que se vão estabelecendo encontra-se a que foi assinada em 2004 com o InCI, a partir da qual se promove a colaboração entre aquele organismo e a Associação, mediante o intercâmbio de informações e de documentação técnica relativas ao Sector, incluindo o desenvolvimento de acções de divulgação e formação, e, em particular, o envolvimento da APIRAC na organização dos processos das empresas associadas relativos à classificação e reclassificação de alvarás. Assim, ao abrigo do referido Protocolo, a partir dessa data a APIRAC passou a ter legitimidade e competência para receber dos seus associados a documentação necessária à verificação das condições exigidas para a concessão de alvará ou título de registo, organizá-los sob a forma de processo de classificação ou reclassificação, verificar a conformidade dos mesmos com os modelos legais, e a remeter os processos assim organizados para o, agora, InCI. Este serviço é prestado gratuitamente aos associados, procurando assim a APIRAC patrocinar a “transformação” a partir de dentro.

Mas o trabalho no incremento de competências não termina e vai bastante mais além da questão dos alvarás. Aliás, sabe-se que existem muitas estruturas empresariais com alvará na nossa especialidade, mas que não têm estruturas organizadas sob o ponto de vista técnico e humano para assegurarem com qualidade e plenitude as obras que vão ganhando. A esse respeito, poderemos adiantar que algumas novidades poderão surgir e que o alvará não sendo requisito único tornar-se-á um dos aspectos incontornáveis na verificação de competências por parte do mercado. De qualquer forma, mais uma vez a APIRAC procurará cumprir a sua missão de ajudar as empresas apoiando-as a fazerem os ”up-grad” necessários para que se possam manter em actividade, procurando fazer prevalecer a perspectiva do apoio e não da exclusão.

É com o envolvimento das empresas que a Associação ganha força e representatividade, sendo a sua capacidade negocial enriquecida com o alargamento do espectro de empresas representadas. A Associação é o somatório das empresas enquanto movimento empresarial que em conjunto trabalham para a melhoria de condições do mercado em que intervém, e não outra coisa qualquer. Poderão existir empresas sem Associação, mas não há Associação sem empresas.

    Nuno Roque
Secretário-Geral
     
   
   

Encontro Regional de Empresas de AVAC&R - Região de Coimbra

     
 

Realizou-se no passado dia 29 de Junho mais um encontro com empresas do nosso Sector de AVAC&R, desta vez na Região de Coimbra. O encontro teve lugar nas instalações da empresa parceira EDICAD, localizada no Edifício EDIREDE, na zona industrial do Taveiro e reuniu mais de 25 participantes. Considerando os três encontros já realizados, incluindo Castelo Branco e Leiria, são agora cerca de 75 as empresas que já marcaram presença, tomando contacto com aspectos da legislação que afecta o nosso sector, especialmente relacionada com a certificação dos seus técnicos e das próprias empresas. Seguir-se-ão outras regiões do país, onde a APIRAC levará a mensagem a mais empresas que se interessam pela evolução do sector e que desde já são bem vindas, independentemente de serem associadas ou não.

Brevemente daremos conhecimento da próxima região a ser visitada pela representação da APIRAC.

   
   

Carros mais poluentes já não podem circular na Baixa Chiado

     
 

A partir de hoje, a Baixa de Lisboa está vedada aos veículos com matrícula anterior ao ano de 1993, que poluem dezenas de vezes mais que os novos, em nome da melhor qualidade do ar.

Fonte: Público

   
   

Tarifários da EMEL mudam hoje

   

Preços de estacionamento diferenciados consoante as zonas entram hoje em vigor

 

O preço do estacionamento na cidade de Lisboa vai ser diferenciado a partir de hoje, segundo o novo tarifário da EMEL, que garante redução dos custos numa área verde, mas aumentos nas denominadas zonas amarela e vermelha.

O presidente da empresa que gere o estacionamento em Lisboa, António Júlio de Almeida, salienta que o principal objetivo dos preços diferenciados é gerir melhor a mobilidade e o estacionamento de acordo com as especificidades das diferentes zonas.

A primeira hora de estacionamento na zona verde, que abrange 62% dos lugares disponíveis e onde existe uma baixa rotação de parqueamentos, passa a custar 80 cêntimos, mas na quarta hora de estacionamento o preço diminui quase dois euros quando comparado com o custo até agora.

   

Zona vermelha em locais como Baixa/Chiado

 

Na zona amarela, que inclui 35% do total de lugares e com rotação média de estacionamento, o preço de uma hora é de 1,20 euros. Este custo aumenta nas primeiras duas horas, mas na terceira hora o valor é quase igual ao actual e diminui na quarta hora.

O estacionamento nos eixos vermelhos (três por cento dos lugares), identificados como zonas de grande rotatividade, está limitado a duas horas e custa 1,60 euros na primeira hora.

As zonas vermelhas correspondem a locais como Baixa/Chiado, Avenida António Augusto Aguiar, Avenida da Liberdade, Avenida de Berna, Avenida Guerra Junqueiro, Avenida João XXI, Praça de Londres, Praça Duque de Saldanha e parte da Avenida da República, Avenida de Roma e Campo Pequeno.


Fonte: Expresso

   
   

Angola expulsa 42 portugueses por falta de visto de trabalho

   

 

 

Quarenta e dois cidadãos portugueses deverão ser expulsos de Angola ainda esta semana por se encontrarem em situação irregular no país, onde estavam a trabalhar sem visto de trabalho.

Fonte: Expresso

   
   

TAP proibida de aumentar voos para Luanda

    O regulador angolano proibiu a TAP de reforçar para 12 voos semanais as ligações a Luanda.

 

A TAP mantém assim dez voos semanais para Luanda.

O aumento das ligações foi acordado em Outubro passado entre as autoridades aeronáuticas de Portugal e Angola.

Apesar do memorando de entendimento assinado em Outubro passado entre as autoridades aeronáuticas de Portugal e Angola, o regulador angolano proibiu a TAP de reforçar para 12 voos semanais as ligações a Luanda. A TAP está assim obrigada a manter os dez voos semanais que realiza regularmente.

Fonte: Diário Económico

   
   

Patrões da Indústria querem corte da TSU para 15%

   

A CIP já entregou ao Governo um estudo a defender um corte acentuado na TSU, que custaria aos cofres do Estado 681 milhões.

 

A CIP quer cortar a Taxa Social Única só da indústria, para 15%. A representante do sector já entregou um estudo a membros do Governo que enumera as vantagens de um corte acentuado, mas que deixaria de fora os serviços, o comércio, a agricultura e o turismo. A medida custa pelo menos 681 milhões de euros e seria compensada com aumentos do IVA, adianta o estudo, a que o Diário Económico teve acesso.

Um corte de pelo menos 8,75 pontos percentuais na taxa social única (TSU) apenas para a indústria - que passaria assim dos actuais 23,75% para 15% - teria "um efeito mais acentuado na diminuição dos custos médios e no aumento das margens brutas das empresas exportadoras, com uma despesa fiscal muito mais limitada", defende o estudo.


Fonte: Diário Económico

   
   

Dividendos e juros escapam ao novo imposto extraordinário

   

Rendimentos só pagam se forem englobados no IRS.

 

Os dividendos auferidos por investidores particulares não vão pagar o imposto extraordinário de IRS anunciado na semana passada pelo primeiro-ministro. Do mesmo modo, também escapam à contribuição todos os juros de aplicações financeiras, como os depósitos e fundos de investimento, desde que sujeitos a taxas liberatórias.

A confirmação da exclusão destes rendimentos do âmbito de aplicação do imposto especial foi feita por Vítor Gaspar, Ministro de Estado e das Finanças.

Fonte: Jornal Negócios

   
    Em Destaque o Parceiro: VITACENTRO - Centro Vital de Implantologia, Médico e Dentário
   
 

A APIRAC e a VITACENTRO - Centro Vital de Implantologia, Médico e Dentário, assinaram um protocolo que tem por objectivo a criação de uma relação de parceria entre a APIRAC e os serviços prestados pela Empresa VITACENTRO - Centro Vital de Implantologia, Médico e Dentário.

A VITACENTRO - Centro Vital de Implantologia, Médico e Dentário, tem condições especiais e vantajosas para as empresas associadas da APIRAC que são detentoras do Cartão Associado APIRAC.

As condições especiais genéricas concedidas pela VITACENTRO - Centro Vital de Implantologia, Médico e Dentário, são disponibilizadas no site do cartão, a partir de www.apirac.pt.

O Cartão Associado APIRAC é uma iniciativa da APIRAC, constituindo um serviço que presta aos seus associados com situação regular, com uma periodicidade anual que coincide com o ano civil, sendo renovável anualmente.

Mais informações clique aqui

     
   
   

 

» LISBOA
Isabel Fonseca
Tel: 213 224 265
Telm: 967 830 953
Fax: 213 474 576
formacao@apirac.pt
formacao@apief.pt

» PORTO
Dra. Patrícia Maia
Tel: 222 088 837
Telm: 964 942 932
Fax: 213 474 576
apirac.porto@apirac.pt
formacao.porto@apief.pt

» GUIMARÃES
Dra. Maria José
Tel: 253 554 288
Telm: 967 446 860
Fax: 213 474 576
apirac.guimaraes@apirac.pt
formacao.guimaraes@apief.pt

 


     
   
   

Manutenção preventiva de sistemas de AVAC&R

     
 

Todos sabemos a importância que tem para qualquer empresa a realização da manutenção dos seus equipamentos. E, nós em especial, o que isso representa na facturação das empresas de AVAC&R que possuam uma razoável carteira de clientes.

Trazemo-vos, hoje um interessante e actual documento (de 100 páginas) do qual podem fazer importação via Net, originário do país irmão - Brasil – portanto no português do “lado di lá”, mas que os nossos técnicos já bem dominam.

É um Manual de Manutenção de Redes de Frio editado pela Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Brasil e trata dos procedimentos de manutenção preventiva e correctiva de equipamentos instalados nas centrais de AVAC&R, portanto, abrangendo os equipamentos frigoríficos, os condicionadores de ar, mas também o grupo gerador de energia, fornecendo as orientações básicas para o planeamento, a gestão, a inspecção e o controlo dos mesmos.

Desde sugestões tão prosaicas como referenciar onde se deve fazer a manutenção nos equipamentos de refrigeração tipo doméstico, por exemplo, verificar a vedação total da porta, passando às câmaras frigoríficas de maiores dimensões, fazendo o controlo de existência de ruídos e vibração nas tubagens de cobre, às arcas frigoríficas, sugerindo que faça a verificação das molas e amortecedores da unidade condensadora, até ao sistema de ar condicionado, para registar as temperaturas doo ar de insuflação e retorno e do ar exterior, tudo e para tudo, é chamada a atenção. Até ao quadro de distribuição de energia eléctrica, naturalmente, medir a tensão entre as fases…

Depois disponibiliza vários Anexos onde sistematiza todo o controlo apresentando aos técnicos de manutenção os Mapas de Planeamento e Controlo de Rotinas para as Medições Mensal - Trimestral – Semestral – Anual; ou um Guia de Avarias e sua possível solução.

Pareceu-nos um excelente documento de consulta.

Para o ir buscar clique aqui

     
   
    Datas para pagamento de impostos
     
   

     
   
   

Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento

     
   

Decreto-Lei n.º 76/2011. D.R. n.º 117, Série I de 2011-06-20  - Cria uma via rápida para investimentos nos sectores de bens que podem ser exportados para projectos superiores a 10 milhões de euros e 25 milhões de euros, concretizando a Iniciativa para a Competitividade e Emprego, aprovada pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 101-B/2010, de 27 de Dezembro.

   
   

Decreto-Lei n.º 78/2011. D.R. n.º 117, Série I de 2011-06-20 - Estabelece regras comuns para o mercado interno da electricidade, transpondo a Directiva n.º 2009/72/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 13 de Julho, que revoga a Directiva n.º 2003/54/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 26 de Junho, procedendo à segunda alteração ao Decreto-Lei n.º 29/2006, de 15 de Fevereiro.

   
   

Portaria n.º 250/2011. D.R. n.º 120, Série I de 2011-06-24 - Primeira alteração à Portaria n.º 1057/2010, de 15 de Outubro, que estabelece o valor do coeficiente Z aplicável a centrais fotovoltaicas de concentração de forma a permitir remunerar a electricidade produzida e entregue à rede.

   
   

Região Autónoma dos Açores - Assembleia Legislativa

     
   

Decreto Legislativo Regional n.º 20/2011/A. D.R. n.º 118, Série I de 2011-06-21 - Segunda alteração ao Decreto Legislativo Regional n.º 37/2008/A, de 5 de Agosto, que estabelece o regime jurídico de actividades sujeitas a licenciamento das câmaras municipais na Região Autónoma dos Açores.

   
   

Região Autónoma dos Açores - Presidência do Governo

     
   

Decreto Regulamentar Regional n.º 15/2011/A. D.R. n.º 118, Série I de 2011-06-21 -  Aprova a orgânica e o quadro do pessoal dirigente, de direcção específica e de chefia da Secretaria Regional da Economia.

   
   

Presidência da República

     
   

Decreto do Presidente da República n.º 54-A/2011. D.R. n.º 118, Suplemento, Série I de 2011-06-21 - Exonera do cargo de Primeiro-Ministro o Engenheiro José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa.

   
   

Decreto do Presidente da República n.º 54-B/2011. D.R. n.º 118, Suplemento, Série I de 2011-06-21 - Nomeia Primeiro-Ministro o Dr. Pedro Manuel Mamede Passos Coelho.

   
   

Decreto do Presidente da República n.º 54-C/2011. D.R. n.º 118, Suplemento, Série I de 2011-06-21 - Nomeia, sob proposta do Primeiro-Ministro, o Prof. Doutor Vítor Louçã Rabaça Gaspar Ministro de Estado e das Finanças, o Dr. Paulo de Sacadura Cabral Portas Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, o Dr. José Pedro Correia de Aguiar-Branco Ministro da Defesa Nacional, o Dr. Miguel Bento Martins Costa Macedo e Silva Ministro da Administração Interna, a Dr.ª Paula Maria Von Hafe Teixeira da Cruz Ministra da Justiça, o Dr. Miguel Fernando Cassola de Miranda Relvas Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, o Prof. Doutor Álvaro

   
   

Lei n.º 44/2011. D.R. n.º 119, Série I de 2011-06-22 - Procede à quarta alteração à Lei n.º 23/96, de 26 de Julho, que «Cria no ordenamento jurídico alguns mecanismos destinados a proteger o utente de serviços públicos essenciais»

   
   

Decreto do Presidente da República n.º 54-D/2011. D.R. n.º 122, Suplemento, Série I de 2011-06-28 - Nomeia, sob proposta do Primeiro-Ministro, o Dr. Francisco José Viegas Secretário de Estado da Cultura, o Dr. Luís Filipe Bruno da Costa de Morais Sarmento Secretário de Estado do Orçamento, a Dr.ª Maria Luís Casanova Morgado Dias de Albuquerque Secretária de Estado do Tesouro e das Finanças, o Dr. Paulo de Faria Lince Núncio Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, o Dr. Hélder Manuel Sebastião Rosalino Secretário de Estado da Administração Pública, o Dr. Luís Miguel Gubert Morais Leitão Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Europeus, o Prof. Doutor Luís Filipe Neves Brites Pereira Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, o Dr. José de Almeida Cesário Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, o Dr. Paulo Frederico Agostinho Braga Lino Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, o Dr. Filipe Tiago de Melo Sobral Lobo d'Ávila Secretário de Estado da Administração Interna, o Engenheiro Fernando Ferreira Santo Secretário de Estado da Administração Patrimonial e Equipamentos do Ministério da Justiça, o Dr. Feliciano José Barreiras Duarte Secretário de Estado Adjunto do Ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, a Dr.ª Maria Teresa da Silva Morais Secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade, o Engenheiro Paulo Jorge Simões Júlio Secretário de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa, o Dr. Alexandre Miguel Cavaco Picanço Mestre Secretário de Estado do Desporto e Juventude, o Dr. António Joaquim Almeida Henriques Secretário de Estado Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional, o Prof. Doutor Pedro Miguel Rodrigues da Silva Martins Secretário de Estado do Emprego, o Engenheiro Carlos Nuno Alves de Oliveira Secretário de Estado do Empreendedorismo, Competitividade e Inovação, o Dr. Sérgio Paulo Lopes da Silva Monteiro Secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, o Engenheiro Henrique Joaquim Gomes Secretário de Estado da Energia, a Dr.ª Cecília Felgueiras de Meireles Graça Secretária de Estado do Turismo, o Engenheiro José Diogo Santiago de Albuquerque Secretário de Estado da Agricultura, o Engenheiro José Daniel Rosas Campelo da Rocha Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, o Prof. Doutor Manuel Pinto de Abreu Secretário de Estado do Mar, o Dr. Pedro Afonso de Paulo Secretário de Estado do Ambiente e do Ordenamento do Território, o Dr. Fernando Serra Leal da Costa Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, o Dr. Manuel Ferreira Teixeira Secretário de Estado da Saúde, o Prof. Doutor João Filipe Cortez Rodrigues Queiró Secretário de Estado do Ensino Superior, a Prof.ª Doutora Maria Leonor de Sá Barreiros da Silva Parreira Secretária de Estado da Ciência, o Dr. João Casanova de Almeida Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, a Dr.ª Isabel Maria Cabrita de Araújo Leite dos Santos Silva Secretária de Estado do Ensino Básico e Secundário, o Dr. Marco António Ribeiro dos Santos Costa Secretário de Estado da Solidariedade e da Segurança Social e a Dr.ª Vânia Carvalho Dias da Silva de Antas de Barros Subsecretária de Estado Adjunta do Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros.

   
   

Presidência do Conselho de Ministros e Ministério da Economia, da Inovação e Desenvolvimento

     
   

Portaria n.º 239/2011. D.R. n.º 118, Série I de 2011-06-21 - Identifica os elementos que as meras comunicações prévias e as comunicações prévias com prazo previstas no Decreto-Lei n.º 48/2011, de 1 de Abril, devem conter.

   
   

Ministérios das Finanças e da Administração Pública e do Trabalho e da Solidariedade Social

     
   

Portaria n.º 246/2011. D.R. n.º 119, Série I de 2011-06-22 - Determina os valores dos coeficientes de revalorização das remunerações que servem de base de cálculo das pensões de invalidez e velhice do regime geral de segurança social e do regime do seguro social voluntário e revoga a Portaria n.º 269/2009, de 17 de Março.

   
   

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social

     
   

Portaria n.º 249/2011. D.R. n.º 119, Série I de 2011-06-22 - Aprova os modelos de requerimento do rendimento social de inserção, do abono de família pré-natal e abono de família para crianças e jovens, bem como da declaração da composição e rendimentos do agregado familiar, e revoga a Portaria n.º 598/2010, de 2 de Agosto.

   
   

Assembleia da República

     
   

Lei n.º 47/2011. D.R. n.º 121, Série I de 2011-06-27 - Cria a Ordem dos Engenheiros Técnicos e aprova o respectivo Estatuto e procede à primeira alteração do Decreto-Lei n.º 349/99, de 2 de Setembro.

   
   

Região Autónoma dos Açores - Presidência do Governo

     
   

Decreto Regulamentar Regional n.º 16/2011/A. D.R. n.º 122, Série I de 2011-06-28 - Estabelece o pagamento de taxas moderadoras no acesso às prestações de saúde no âmbito do Serviço Regional de Saúde dos Açores.

   
   

Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento e das Obras Públicas, Transportes e Comunicações

     
   

Portaria n.º 252/2011. D.R. n.º 121, Série I de 2011-06-27 - Estabelece as normas técnicas para instalação e funcionamento de pontos de carregamento normal em edifícios e outras operações urbanísticas.

   

 

   
    APIEF - Estágios Profissionais
    Estágios Profissionais em Empresas do SECTOR, GRATUITOS e SEM ENCARGOS
 

» Sistema Aprendizagem - Colocação de formandos em Entidades de Apoio à Alternância

A APIEF iniciou mais uma série de cursos em Sistema Aprendizagem que integram no decurso da formação uma forte componente de estágio, que leva os formandos a realizar uma formação prática em contexto de trabalho, sendo para tal necessária a participação de empresas, designadas neste âmbito por entidades de apoio à alternância, para se poder concluir o processo formativo. Assim, informa a APIRAC aos seus associados que o nosso Centro de Formação APIEF necessita de parceiros para acolher estagiários nas áreas que se indicam:

Aspectos Técnicos:

  • Não existe qualquer contrapartida financeira de parte a parte;
  • Os períodos de estágio são concentrados em dois períodos do ano para melhor integração do formando e desenvolvimento da aprendizagem em situações de trabalho; previsivelmente em 2011,e para o primeiro período lectivo em curso, os estágios decorrerão nos seguintes períodos:
          » TRC - 07-03-2011 a 31-03-2011, e de 06-06-2011 a 06-07-2011 (300 horas),
          » ISST – 28-02-2011 a 18-03-2011, e de 06-06-2011 a 22-02-2011 (200 horas);
  • Os custos com os formandos, bem como os seguros são suportados pelo IEFP e APIEF;
  • Necessária a designação de um Tutor;
  • No final da formação terá que ser enviada uma avaliação;
  • No final de cada mês terá que ser enviada a assiduidade dos formandos via fax ou e-mail;
  • Assinatura de um protocolo/ contrato entre as entidades envolvidas.

As empresas interessadas em receber formandos, queiram por favor contactar: Dra. Margarida Alvadia                     
Tel: +351 213 540 011 | e-mail: margarida.alvadia@apief.pt

     
   
     
   

2ª Conferência Mobilidade Urbana: Gestão Inteligente e Competitividade

   

15 de Setembro | Lisboa

 

A premência da (r)evolução na mobilidade urbana é já um dado adquirido em toda a Europa, inclusivamente num contexto mundial e é cada vez mais evidente a necessidade de uma estratégia global que  torne o sistema de transportes mais competitivo. 

Numa altura em que o Plano Estratégico de Transportes (2008-2020), que deveria ter sido implementado em Abril, continua parado desde 2008, mantêm-se agitados os objectivos de aumento da competitividade do sector e da redução dos impactes ambientais que vêm em linha de conta com as prioridades da Europa. 

A Conferência Mobilidade Urbana: Gestão Inteligente e Competitividade será o palco onde as várias estratégias e soluções para uma gestão eficiente da mobilidade nos tempos actuais, em tempo de crise e depois de crise, serão apresentadas e debatidas pelos grandes especialistas, decisores, técnicos e empresas que, a nível nacional e internacional trabalham no sector desenvolvendo soluções para uma estrutura de transportes mais forte e mais organizada nas cidades.

Mais informações
site - clique aqui
Tel.: 218 806 129
e-mail: geralarquitecturas@about.pt

   
   
    Se pretender fazer um comentário ou deixar-nos a sua opinião, clique aqui!
   
Para remover clique aqui e escreva STOP.
 

Patrocinadores Newsletter