NewsLetter APIRAC - 04 de Janeiro de 2005

Associação Portuguesa da Industria de Refrigeração e Ar Condicionado

 

Congresso Mediterrânico de Climatização

 

Revista Grau Celsius

 

Directório APIRAC

 

Parcerias

 

Instituto para a Qualidade na Formação

 

Programa REDE

 

Instituto Português da Qualidade

 

Instituto dos Mercados

de Obras Públicas e Particulares e do Imobiliário

 

Instituto de Soldadura e Qualidade

 

PT Comunicações, SA

 

Editorial

O ano de 2005 traz logo no primeiro dia a primeira preocupação que a alguns distribuidores de ar condicionado terá passado despercebida. É a necessidade de dar cumprimento ao Decreto-Lei n.º28/2003, de 12 de Fevereiro (publicado na sua I Série – A), que faz, para a ordem jurídica nacional, a transposição da Directiva Europeia relativa à obrigatoriedade de Etiquetagem Energética de Aparelhos Domésticos de Ar Condicionado.

 

Após um processo com um decurso – mesmo a nível europeu - algo menos fluido do que deveria, entrou em vigor em Setembro passado, mas entretanto acertou-se com a DGE (Direcção Geral de Empresa) e as várias associações - entre as quais, naturalmente, a APIRAC – que a fiscalização apenas seria iniciada a partir de 1 de Janeiro de 2005.

 

Ora esse dia chegou!

 

Significa isto que, desde o primeiro dia deste ano novo – para nós que escrevemos, há poucas horas – cada aparelho exposto para venda (portanto, não em armazém) carece de ter aposta uma etiqueta que “diz” qual a categoria em termos de eficiência energética, de A até G, que caracteriza esse equipamento. Vale para aparelhos “só frio” e “bomba de calor” e refere-se à unidade exterior e à unidade interior. Felizmente, o texto do Decreto-Lei é bem explícito no que respeita a todos os pormenores para a elaboração física da etiqueta. Quem não as recebe do seu representado terá rapidamente de dar os passos necessários para ficar dentro da lei. Coimas, evitemo-las a todo o custo. Atenção, pois!

 

L. Fonseca e Silva

Secretário Técnico APIRAC

 

Notícias

 

Entrega dos Dados Estatísticos de Vendas de Equipamentos de AVAC - Ano 2004

 

Foi decidido em reunião de Distribuidores APIRAC que em 2004 não haveria recolha de dados intercalar e que os dados seriam compilados num único envio relativo ao ano completo.

 

Entrados, agora, em JAN.2005, chegou a hora de preparar os elementos estatísticos das vendas realizadas ao longo do ano transacto. A APIRAC  enviará,  nesta primeira semana,  a

ficha habitual, reformulada para o efeito e como usualmente em formato EXCEL.

 

Contamos com a inestimável e voluntariosa colaboração de todos para fazerem chegar, à associação, os vossos resultados, até 31 JAN. Segunda-feira, para se proceder ao lançamento dos dados e à rápida devolução dos resultados aos participantes nesta entrega.

 

 

Formação da Entidade Gestora para os Resíduos (REEE)

 

Encerra-se no próximo dia 10 de Janeiro de o prazo para manifestação da intenção de adesão das empresas distribuidoras de Equipamentos de AVAC&R à Entidade criada para gerir os resíduos – equipamentos em fim de vida – por si comercializados (e/ou a comercializar no futuro).

 

Como tem sido largamente divulgado pela APIRAC junto dos seus associados, existem duas categorias: Sócio-fundador ou Utilizador-financiador, com diferentes deveres e direitos. O prazo para manifestação da intenção de aderir com uma ou com outra condição, esse é que é o mesmo e esgota-se na próxima Segunda-feira.

 

Da  AMB3E  (Entidade  em  constituição)  farão

 

parte como sócios-fundadores vários grandes distribuidores de AVAC associados da APIRAC.

 

A necessidade de adesão (a uma entidade gestora dos resíduos, previamente aprovada pelo INR) é, em nossa opinião, vital para o bom decurso e continuidade da actividade das empresas do segmento Distribuição, pois como temos avisado, quem em 13 de Agosto próximo não pertencer a uma entidade reconhecida pelo INR ou não tenha criado a sua própria estrutura de tratamento dos resíduos (obrigatoriamente, também, aprovada pelo INR) será pura e simplesmente proibida de comercializar os seus produtos no mercado nacional.

 

Destaques

 

Nova definição de PME em vigor a partir de 1 de Janeiro de 2005

 

A Comissão Europeia adoptou uma nova definição de micro, pequena e média empresa (PME), (Recomendação da Comissão 2003/361/CE) a fim de promover o espírito empresarial, o investimento e o crescimento, facilitar o acesso ao capital de risco, reduzir os encargos administrativos e aumentar a segurança jurídica. A nova definição entrou em vigor em 1 de Janeiro de 2005.

 

Categoria

N.º Trabalhadores (inalterado)

Volume de Negócios Balanço Total

Média Empresa

< 250

= 50 Milhões de euros

= 43 Milhões de euros

Pequena Empresa

< 50

= 10 Milhões de euros

= 10 Milhões de euros

Microempresa

< 10

= 2 Milhões de euros

= 2 Milhões de euros

 


Tecnologia

 

American Refrigeration Institute

 

 

O ARI ou American Refrigeration Institute é a organização associativa dos EUA que representa mais de 90% dos fabricantes americanos de equipamentos para ar condicionado e para o sector de refrigeração dita comercial. Como seria de esperar, tem um web-site repleto de informações utilíssimas.

 

Destacamos pela “fantástica” prestação de serviço que oferece – pelo seu indubitável interesse – uma sua página de acesso aberto e gratuito, a chamada PrimeNet (The Air-Conditioning and Refrigeration Institute's On-Line Directories of Certified Equipment), um directório,  apresentado por ordem alfabética,

 

de todos os fabricantes (mais de 200) e com todos os seus equipamentos que mereceram certificação de qualidade pela ARI. Nomes como Alfa-Laval, Carrier, Daikin, Dunham-Bush, Fujitsu, GE, Haier, Kelvinator, Lennox, LG, Mcquay, Mitsubishi, Philco, Samsung, Sanyo, Tadiran, Trane, York, Whirlpool ou Witt, marcas de hoje e lendárias, revelam sobre cada equipamento – desde um simples permutador ou ventilador até ao complexo grupo compressor frigorífico ou chiller– todas as características técnicas de catálogo do fabricante, avalizados pela associação. Níveis sonoros, caudais de ar, potências eléctricas absorvidas, pressões mínimas operativas, tudo que se carece para escolher um equipamento, seja ele qual for, e nele poder confiar.

 

Para saber mais, visite http://www.ari.org/cert/

e a seguir, na janela NEWS & UPDATES:

ARI Offers Energy Recovery Ventilation Equipment on PrimeNet Database

 


Tome nota / Agenda

 

Datas para pagamento de impostos durante este mês

 

Não Esquecer

 

 

10 Jan IVA Declaração periódica mensal referente ao mês de Novembro/04
17 Jan Segurança Social Contribuições relativas ao mês de Dezembro/04
20 Jan IRS / IRC Retenções efectuadas em Dezembro/04
20 Jan Imposto Selo Imposto Selo relativo ao mês de Dezembro/04

 


 

Certames / Eventos

 

4º ENCONTRO NACIONAL DO COLÉGIO DE ENGENHARIA MECÂNICA

ENGENHARIA MECÂNICA: PERSPECTIVAS E DESAFIOS

Lisboa, 2 a 4 de Junho de 2005

Anúncio e Pedido de Contribuições

 

O Colégio de Engenharia Mecânica da Ordem dos Engenheiros vai organizar, de 2 a 4 de Junho de 2005, em Lisboa, o seu 4º Encontro Nacional. Os objectivos essenciais do Encontro serão:

Apresentar e discutir os avanços técnicos e científicos, bem como experiências profissionais concretas do tipo casos de estudo, que se tenham verificado no passado recente nos vários domínios de intervenção da Engenharia Mecânica.

Analisar o contexto actual da formação, do enquadramento profissional e da regulamentação da profissão de Engenheiro Mecânico, a nível Nacional e Comunitário.

Propostas de contribuições técnicas deverão ser enviadas até 31 de Janeiro de 2005.

 

Para mais informações, contactar a Ordem dos Engenheiros:

Av. Sidónio Pais, 4–E

1050-212 LISBOA

Tel: 213 132 600

Fax: 213 524 632

E-mail: 4mec2005@ordeng.pt Website: http://www.ordeng.pt/default2.html