NewsLetter APIRAC - 19 de Janeiro de 2006

 

Editorial

Em tom de revisão sobre o ano que agora findou, deparamo-nos com os balanços normais à actividade desenvolvida, projectando o ano novo que se inicia. E nessas contas damos por nós a sublinhar algumas ideias e princípios que norteiam o planeamento que se vai fazendo empresa a empresa, sector a sector.

 

Daí que entre alguns escritos vamos descobrindo que o Ministério da Economia e da Inovação tem como missão “a implementação de políticas para o desenvolvimento, crescimento e promoção da economia e da inovação, com vista ao fortalecimento do tecido empresarial e seu posicionamento concorrencial. (…) enquanto entidade reguladora e dinamizadora da actividade económica, responsável pelas políticas, ao nível empresarial, aplicadas pelas entidades, e nos sectores, por si supervisionados, tutelados, regulados e regulamentados.”

 

É neste âmbito de intervenção que se enquadra entre as suas a responsabilidade de definir a Estratégia Nacional para a Energia, com o objectivo ” (…) da promoção da eficiência energética, tanto na cadeia da oferta, como na da procura”.

 

Por sua vez, vem o mesmo Ministério, através do sebastianino Plano Tecnológico, instituir o objectivo de “criar as condições necessárias para que as empresas e os sectores económicos possam gerar maior valor acrescentado e aumentar o rendimento individual”.

 

Ora, encerrado o ano de 2005, e de acordo com dados do Banco de Portugal e da Direcção-Geral de Estudos e Previsões, a actividade económica (leia-se PIB) terá crescido 0,1…%, enquanto que a taxa de desemprego se situa nos 7,7% face aos 6,8% registados no fim de 2004. Por outro lado, e falando do nosso Sector, é sabido do trabalho desenvolvido pela Sub-Comissão do Conselho Superior de Obras Públicas no quadro da transposição da Directiva Comunitária para a Eficiência Energética e Qualidade do Ar Interior em Edifícios,  em sede da Secretaria de  Estado,

 

que durante dois anos conseguiu estabelecer os compromissos transversais a diversas sensibilidades, no intuito de salvaguardar o interesse colectivo produzindo uma proposta de decreto-lei que veio a ser aprovada, embora tardiamente, em 27 de Janeiro de 2005, mas que por vicissitudes da agenda política cá do burgo foi submetida a nova reflexão desta vez por especialistas… cujo resultado está para ser divulgado impreterivelmente na semana seguinte… desde o início de Setembro.

 

Também é sabido que a credenciação de técnicos e de empresas terá um efeito impulsionador na competitividade das empresas do Sector, já que a nova regulamentação motivará a tão aguardada e desejada ordenação do e no Sector, abrindo inclusivamente novos mercados como são os das inspecções, auditorias e manutenção no que a sistemas de climatização diz respeito, e que se estima possa vir a ter repercussões na ordem dos 15.000 postos de trabalho! Mas o que é isso para um país como Portugal!...

 

Numa semana em que são dados alguns sinais de grande empreendorismo com a instalação de uma fábrica no Norte que gerará cerca de 500 postos de trabalho directos e indirectos, se anuncia a apresentação de dois projectos de investimento turístico na costa alentejana, que deverão criar mais de 4.000 empregos, depois de ainda há bem pouco tempo se ter dado o pontapé de saída para outro grande projecto turístico no Distrito de Setúbal que poderá marcar Portugal internacionalmente, agora que é lançado um concurso para a atribuição de 100 megawatts de potência para centrais eléctricas de biomassa florestal e um projecto industrial e de investigação e desenvolvimento virado para o desenvolvimento das pilhas de hidrogénio, biogás e valorização da biomassa, que mais se espera para mais esta alavanca ser accionada a bem das empresas, dos seus trabalhadores e da economia nacional?

 

Nuno Roque

Secretário-Geral


Notícias

Lista dos Técnicos já qualificados

 

Após ter dado início a avaliação curricular e sequente examinação aos candidatos à qualificação técnica no âmbito do Decreto-Lei n.º 152/2005, de 31 de Agosto, relativo ao manuseamento de fluidos frigorigéneos nas operações de recuperação para reciclagem, valorização e destruição de CFC´s e HCFC´s contidos nos equipamentos de climatização e refrigeração, bem como nas operações de manutenção desses equipamentos, começaram já a ser disponibilizados os nomes e contactos dos técnicos a quem foi atribuída a referida qualificação para os grupos A e B. Esta informação, conforme tem sido anunciado está disponível no site do Instituto do Ambiente em www.iambiente.pt

 


A ANREEE na Internet

 

Está acessível na Internet o sítio da ANREEE - Associação Nacional para o Registo de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos – no endereço: www.anreee.pt. Nesta página, encontrarão todos os produtores, informação relativa ao registo de produtores de EEE, bem como um meio de acesso mais expedito ao sistema de registo on-line: SIRPEEE - Sistema de Informação de Registo de Produtores de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos.

 

A ANREEE é uma pessoa colectiva sem fins lucrativos, criada por associações de produtores e pelas entidades gestoras de sistemas integrados de gestão de REEE e tem como missão assegurar, organizar e manter o registo obrigatório de produtores de EEE, de forma a possibilitar o acompanhamento      e      fiscalização      do

cumprimento das suas obrigações e objectivos, fixados no referido diploma e demais legislação aplicável. O registo de Produtores – ANREEE - funciona como uma entidade que controla as quantidades de EEE que cada produtor coloca no mercado anualmente (informação sujeita a rigoroso dever de confidencialidade), bem como acompanha, através da informação recebida dos sistemas de gestão, o ciclo de vida de cada EEE. A APIRAC sendo uma das entidades fundadoras integra a Direcção da ANREEE.

 


Encontro Nacional de Frio

 

Com o SINERCLIMA assistir-se-á ao lançamento de uma nova iniciativa que se impunha – o 1º Encontro Nacional do Frio. Este acontecimento decorrerá em paralelo com a Feira – 18 de Fevereiro, Sábado - e preparará um grande projecto associativo que será o CONFRIO, o Congresso Internacional do Frio que terá lugar no ano seguinte.

 

Mais informações sobre o Encontro Nacional de Frio e o SINERCLIMA no Site da APIRAC.


Destaques

Formação Profissional

 

Estão abertas as inscrições para os seguintes cursos:

Cursos de Apoio à Credenciação

Carga
Horária
Documentação
TÉCNICO DE MANUSEAMENTO DE FLUIDOS FRIGORIGÉNEOS (Lisboa, Porto, Guimarães, Castelo Branco, Faro) 35 Horas

Bilhete de Identidade

Nº de Contribuinte

Curriculum Profissional

Declaração das empresas comprovativa dos anos de actividade

Eventuais certificados/diplomas de habilitações

ELECTROMECÂNICA  DE REFRIGERAÇÃO E AR CONDICIONADO 40 Horas
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM QAI
(inclui 20H de Electromecânica avançada de refrigeração e ar condicionado)
80 Horas
CURSO COMPLEMENTAR EM QAI
(inclui 20H de Electromecânica básica de refrigeração e ar condicionado)
80 Horas
 

Cursos de Formação Contínua

Carga Horária

Local

Co-Financiado

Curso Técnicas de Refrigeração e Ar Condicionado

180 Horas

Lisboa

Porto

Guimarães

Não

Sim

Sim

Curso Automatismos Industriais

60 Horas

Porto

Guimarães

Sim

Sim

Curso Automação

40 Horas

Porto

Guimarães

Sim

Sim

 

Lisboa: Sofia Oliveira Batista

Tel:  21 322 42 60

Fax: 21 347 45 76

apirac@netcabo.pt

Porto: Dra. Patrícia Maia

Tel:  96 494 29 32

Fax: 22 208 48 79

apirac_porto@clix.pt

Guimarães: Dra. Maria José

Tel:  253 552 948

Fax: 253 408 534

apirac_guimaraes@clix.pt

 


Tecnologia

CO2 vai substituir os fluidos com efeito de estufa

 

Os cálculos mostram que uma bomba de calor para aquecimento de águas de utilização doméstica, ao fazer uso de CO2 em vez do R134a, pode ver melhorar a sua eficiência energética em valores da ordem de 50%. E como se isto não fosse suficiente, que pensar acerca de o GWP (potencial de aquecimento por efeito de estufa) ser, com o CO2, 1300 vezes menor que com o R134a?

 

Tentando avaliar quantos, dos mais de 70 milhões de frigoríficos novos lançados anualmente no mercado, já fazem uso do CO2 como fluido frigorigéneo, viajámos até ao site da EPA (Agência para o Ambiente) do nosso parceiro comunitário Dinamarca, e deparámos com o relatório dum projecto altamente clarificador sobre a utilização do CO2 no AVAC&R em vez dos HCFC’s (onde se inclui o R22).

 

Por enquanto, a gama de componentes comercialmente disponíveis é limitada, mas já há fabricantes de compressores herméticos para CO2 e a expectativa de correspondente existência de válvulas e outros componentes já tem horizontes mais curtos.

 

Pensamos que dada a pressão ambientalista em que este nosso mundo tecnológico se está a mover, vai ser uma tecnologia que todos teremos de dominar a breve prazo.

 

Quer saber mais, siga este Link.

 

Tome nota / Agenda

Datas para pagamento de impostos durante este mês

Não Esquecer

 
20 Jan IRS / IRC Retenções efectuadas em Dezembro/05

20 Jan

Imposto Selo

Imposto Selo relativo ao mês de Dezembro/05

 


Certames / Eventos

 

SINERCLIMA - 1º Salão Internacional de Energia e Climatização

16 a 19 de Fevereiro de 2006 - Exposalão - Batalha

 

A Exposalão em conjunto com a APIRAC promove de 16 a 19 de Fevereiro de 2006 o 1º Salão internacional de Energia, Refrigeração e Climatização, o SINERCLIMA.

 

Contactos:

Exposalão

Tel:  244 769 480

Fax: 244 767 489

Email: info@exposalao.pt

APIRAC

Tel:  213 224 260

Fax: 213 474 576

Email: apirac@netcabo.pt

 


 

Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado

 

Congresso Mediterrânico de Climatização

 

Revista Grau Celsius

 

Directório APIRAC

 

Parcerias

 

Instituto para a Qualidade na Formação

 

Programa REDE

 

Instituto Português da Qualidade

 

Instituto dos Mercados

de Obras Públicas e Particulares e do Imobiliário

 

Instituto de Soldadura e Qualidade

 

PT Comunicações, SA