NewsLetter APIRAC - 15 de Outubro de 2007

 

Editorial

Finalmente boas noticias, segundo imagens registadas pela NASA, o buraco do ozono parou de aumentar, ou melhor, diminuiu ligeiramente nos últimos anos. Passou, sobre o Pólo Sul, de 24 milhões de km2 para uns esperançosos 15 milhões. Parece que o esforço de todos e as medidas adoptadas estão a dar frutos, pelo que, tudo indica, devemos continuar.

 

O ozono é uma camada gasosa que serve como filtro de protecção dos seres vivos contra o excesso de radiações ultravioleta do Sol, sem a qual não seria possível a vida na Terra. A molécula deste precioso gás, composta por três átomos de oxigénio, O3, deve encontrar-se na estratosfera, a altitudes variando entre os 15 e os 50 km.

 

É sabido que o ozono quando se encontra na troposfera - zona da Terra onde vivemos e respiramos - tem efeitos prejudiciais, pois quando em excesso, é responsável por irritação nos olhos e problemas respiratórios.

 

A destruição da camada do ozono - hoje já todos os técnicos de AVAC o sabem - leva ao  aumento da  incidência dos raios ultravioletas altamente energéticos que, quando em  excesso, são nocivos para  a

nossa saúde, promovendo queimaduras graves que podem conduzir a cancro da pele, cataratas, conjuntivite e enfraquecimento do sistema imunitário, e até alterações no ADN.

 

E são-no também para a vida terrestre, prejudicam a natureza, alterando os sistemas marinhos, começando pela destruição do plâncton (o primeiro elo da cadeia alimentar) e reduzem a capacidade de fotossíntese das plantas.

 

A redução da produção dos CFC e o controlo apertado da sua libertação para a atmosfera foram medidas urgentes e importantíssimas, mas os resultados agora trazidos a público demonstram a sua correcção. A próxima meta será, do mesmo modo repetir tudo com os HCFC também até à sua total eliminação.

 

Em Portugal, o Decreto-Lei 152/2005, criou o apoio legal que as actividades do AVAC&R careciam. No entanto, temos outro problema, não menos grave, criado pelos HFC - substitutos dos CFC e HCFC -  o aquecimento global. Por aqui, pela vossa associação, tudo faremos para ajudar os técnicos e as empresas de AVAC&R a enfrentá-lo…

 

Sandra Gomes

Assist. Dep. Técnico APIRAC


Notícias

FORMAÇÃO DE JOVENS

A APIRAC integra mais 37 jovens técnicos e electromecânicos de refrigeração e climatização em empresas do Sector

 

A Formação de Jovens é desenvolvida em Sistema de Aprendizagem - Formação Profissional em Alternância -, tendo como objectivo qualificar jovens, por forma a facilitar a sua integração na vida activa, através de perfis de formação que contemplam uma dupla certificação escolar e profissional com uma tripla valência: reforço das competências académicas, pessoais, sociais e relacionais; aquisição de saberes no domínio científico-tecnológico e uma sólida experiência na empresa.

 

Encerrado o ciclo de formação de três anos, as acções desenvolvidas nas cidades de Lisboa e Guimarães do curso Técnico de Refrigeração e Climatização, de nível 3, permitiu mais uma vez integrar jovens técnicos nas empresas do Sector. Os 24 técnicos, ficarão de imediato qualificados como técnicos do Grupo B pela Agência para o Ambiente (APA) – ex-Instituto do Ambiente -, ao abrigo do Decreto-Lei n.º 152, de 31 de Agosto, para o manuseamento de fluidos frigorigéneos que afectem danosamente a camada do ozono.

 

As empresas beneficiadas com os técnicos de nível 3 são: CLIMOBRA, DALKIA, ELECTRO PROGRESSO DA RINCHOA, EFCIS, FONROD, SOUSA PEDRO, SPIE, VENTILARCO, SPCG, José Júlio Jordão, A. GOUVEIA, FRIGOCAR e UNIVERFRIO.

 

Os electromecânicos colocados foram integrar os quadros da GUIMATÉCNICA, GELFRIO, REFRINOVAR, GUIMACLIMA e PINTO E RIBEIRO.

 

De registar ainda que dois dos técnicos optaram por dar sequência aos estudos tentando o acesso ao ensino superior.

                                     


FISCALIDADE

Benefícios Fiscais

 

O Orçamento do Estado para 2008 vai contemplar mais benefícios fiscais a conceder às Pequenas e Médias Empresas (PME), nomeadamente incentivos para a sua fixação no interior do país. As empresas sedeadas em zonas considerado desfavorecidas pela interioridade vão pagar 15% de IRC (menos 5% do que pagavam até 2007). As novas empresas que se venham a instalar nessas regiões pagarão 10% de IRC durante os primeiros cinco anos de actividade, quando até aqui pagavam 15%.

 

As PME’s poderão ainda beneficiar com a redução da tributação dos aumentos de capital que ocorram entre 2008 a 2010, deduzindo ao lucro tributável os valores correspondentes a 3% do montante utilizado na constituição de sociedade ou de aumento do capital social, entre 2008 e 2010.

 

IRS 2007

 

Por outro lado, os contribuintes que em 31 de Dezembro do ano passado tivessem dívidas fiscais, e ainda que já as tenham pago no decorrer de 2007, não terão direito aos benefícios fiscais.

 

Assim, os contribuintes com dívidas fiscais em 2006 verão os benefícios fiscais declarados nesse ano ser desconsiderados, ou seja, o respectivo IRS será recalculado sem ter em conta os benefícios fiscais, independentemente de já terem pago as dívidas em 2007.

 


Destaques

QUESTIONÁRIO DE NECESSIDADES DE FORMAÇÃO, IDEIAS E SUGESTÕES

Ajude-nos sempre a sempre ajudá-lo

 

Termina a 31 de Outubro o prazo de recepção das respostas ao questionário de necessidades de formação. Se ainda não o fez, responda agora s.f.f.

 

Apesar do sentimento do muito que tem sido realizado em termos de formação profissional pelas associações (APIRAC, APIEE e EFRIARC) que estão na génese da criação do Centro de Formação, precisamos de impulsionar a APIEF a dar “Novos Mundos ao Mundo” da formação dos sectores representados.

 

Assim, gostaríamos de vos pedir que apresentem ideias e sugestões relativamente:

 

a) Que pode ser feito de "novo" na APIEF?

b) Que pode ser feito de maneira diferente do que     estamos a realizar?

c) Que possibilidades tem de divulgar o seu Centro de Formação?

d) Como pode ajudar o seu Centro de Formação a ter melhor relacionamento com     câmaras municipais, juntas de freguesia, jornais da região, rádios locais por forma     que a APIEF seja constantemente uma "boa" notícia que o julgamos o merecer ser?

 

Tudo o que estamos a pensar é pouco para o muito que com certeza nos querem ajudar.

 

Queremos que sinta que a APIEF é o Centro de Formação da sua empresa.

 

Contamos Consigo!


Formação Profissional

 

 

Documentação necessária a apresentar na Inscrição:

 

• Bilhete de Identidade;

• Nº de Contribuinte;

• Curriculum Profissional;

• Declaração das empresas comprovativa dos anos de actividade e eventuais certificados/diplomas     de habilitações

 

Lisboa: Isabel Fonseca

Tel:  21 322 42 60

Telm: 96 494 29 31

Fax: 21 347 45 76

formacao@apirac.pt
formacao@apief.pt

Porto: Dra. Patrícia Maia

Tel:  22 208 88 37

Telm: 96 494 29 32

Fax: 22 208 48 79

apirac.porto@apirac.pt

formacao.porto@apief.pt

Guimarães: Dra. Maria José

Tel:  253 554 288

Telm: 96 744 68 60

Fax: 253 554 135

apirac.guimaraes@apirac.pt

formacao.guimaraes@apief.pt


Tecnologia

Sabe para que serve o gelo seco?

 

Creio que todos sabemos, o gelo seco é CO2 em estado sólido. É feito a partir de dióxido de carbono, reduzindo a pressão e temperatura de forma controlada que o converte numa espécie de neve de CO2 limpa, branca e a muito baixa temperatura. Esta neve é então comprimida a alta pressão para formar blocos, fatias ou pellets (como que meios dedos cortados).

 

Embora parecido com o gelo de água, o gelo seco tem propriedades completamente distintas, a sua temperatura é constante, -78ºC, é asséptico, inodoro e sem sabor, passando directamente do estado sólido para o estado gasoso (sublimação).

 

| Dia das Bruxas - abóbora com efeito assustador                                 com a ajuda de gelo seco

Tendo em consideração o seu volume, tem uma capacidade de arrefecer 3,3 vezes maior que o gelo de água. É de fácil utilização e, conforme as utilizações, geralmente, nem são necessárias grandes quantidades, pois à pressão atmosférica normal liberta 150 kcal/kg (em estado liquido só pode existir a pressões muito elevadas).

 

Para além de ter excelentes características frigoríficas, é com muita frequência utilizado em transportes, nas indústrias pesqueira e de carnes, para arrefecimento e congelação rápidas, tendo ainda muitas outras aplicações nos mais variados campos, como na saúde, na limpeza de substâncias gordurosas, na construção mecânica, na investigação e até na criação de ambientes para entretenimento.

 

Mas há muito mais, e para aprofundar os seus conhecimentos sobre este assunto sugerimos-lhe o seguinte site, em português e de fácil leitura. Boa (e muito fresca) viagem! 

 

Para saber tudo clique aqui


Tome nota / Agenda

Datas para pagamento de impostos durante este mês

Não Esquecer

 

15 Out

Segurança Social

Contribuições relativas ao mês de Setembro/06

20 Out

IRS/IRC

Retenções efectuadas em Setembro/06

20 Out

Imposto Selo

Imposto Selo relativo ao mês de Setembro/06

31 Out

IRC

Pagamento por conta

 


Legislação

Propriedade Industrial

 

DL n.º 318/2007, de 26 de Set. - Aprova um regime especial de aquisição imediata e de aquisição online de marca registada e altera o Código da Propriedade Industrial, o Código do Registo Comercial, o DL n.º 145/85, de 08 de Mai., o DL n.º 111/2005, de 08 de Jul., o DL n.º 125/2006, de 29 de Jun., e o regime jurídico dos procedimentos administrativos de dissolução e de liquidação de entidades comerciais, aprovado pelo DL n.º 76-A/2006, de 29 de Mar.

 

Equipamentos

 

DL n.º 325/2007, de 28 de Set. - Transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 2004/108/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 15 de Dez., relativa à aproximação das legislações dos Estados membros respeitantes à compatibilidade electromagnética dos equipamentos.

 

Urbanização e Edificação

 

Lei n.º 60/2007, de 04 de Set. - Procede à sexta alteração ao DL n.º 555/99, de 16 de Dez., que estabelece o regime da urbanização e edificação.

 


Certames / Eventos

CONFERÊNCIA - DEBATE

"Investir em Angola: Oportunidades e apoios"

Sede da AERLIS, Oeiras, 25 de Outubro

 

Pensa expandir o seu negócio para o mercado angolano?

Deseja conhecer entidades que o apoiam na internacionalização da sua empresa?

Gostaria de ouvir testemunhos de empresários presentes em Angola?


Esta sessão pretende revelar que oportunidades Angola oferece às empresas portuguesas e os apoios que podem e devem utilizar para reduzir o risco dos seus investimentos.

 

Contactos:

Site: www.aerlis.pt

info@aerlis.pt

   

ECO XXI - 1º Mostra Tecnológica de Energias Renováveis

2, 3 E 4 de Novembro de 2007

 

A ECO XXI - Centro de Ensino Profissional de Energia e Sustentabilidade, C.R.L. está a organizar no Porto a 1º Mostra Tecnnológica de Energias Renováveis. Este evento tem como objectivo possibilitar às empresas fabricantes, distribuidoras e instaladoras de soluções, para os mercados empresarial e doméstico, alimentadas por energias renováveis.

 

Contactos:

Dr. Paulo Santos

geral@ecoxxi.org

Telm.: +351 961 745 170


   

Publicidade

Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado

 

Congresso Mediterrânico de Climatização

 

Revista Grau Celsius

 

Directório APIRAC

 

Parcerias

 

Direcção Geral de

Energia e Geologia

 

Agência Portuguesa

para o  Ambiente

 

Agência para a Energia

 

Instituto para a Qualidade na Formação

 

Programa REDE

 

Instituto Português da Qualidade

 

Universidade do Algarve

 

Associação Portuguesa dos Engenheiros de Frio Industrial e Ar Condicionado

 

Associação Portuguesa dos Industriais de Engenharia Energética

 

Instituto da Construção e do Imobiliário