NewsLetter APIRAC - 17  de Abril 2008

 

Editorial

O processo de credenciação técnica tem vindo a consolidar-se mês após mês. Depois de se terem iniciado os cursos para formadores de peritos no início do ano passado, seguiu-se o arranque da formação dos peritos – RCCTE, RSECE ENERGIA e RSECE QAI -, dando-se cumprimento ao previsto no Decreto-Lei n.º 78/2006, de 4 de Abril.

 

Ainda no decorrer de 2007, iniciou-se o processo para o reconhecimento de competências para o desempenho da função TRF, com a implementação do curso de especialização em Qualidade do Ar Interior, curso este também requisito obrigatório para todos aqueles que ambicionam a sua credenciação de grau 3 – TIM III, Técnico de Instalação e Manutenção de Sistemas de Climatização em sistemas de climatização com potência térmica superior a 100 kW -, já no âmbito da aplicação do Decreto-Lei n.º 79/2006, de 4 de Abril – RSECE.

 

Também antes do fim do ano iniciou a credenciação dos TQAI – Técnico de Qualidade do Ar Interior - com o desenvolvimento de acções de formação do curso complementar em QAI, após o que, e mediante apresentação do certificado de formação com aproveitamento junto da ADENE, é emitido o certificado de TQAI.

Este ano com todo o processo de credenciação em marcha, iniciou-se a examinação dos TIM II e agora, durante o mês de Abril, dos TIM III. De forma a preparar os profissionais que o pretendam, iniciam-se também durante o mês de Abril corrente os cursos de preparação aos exames respectivos.

 

Assim, passam a estar concretizados todos os alicerces de suporte ao sistema de credenciação técnica definido no SCE – Sistema de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior em Edifícios.

 

A APIRAC através da APIEF tem procurado a descentralização possível para a realização das acções formação na óptica da Qualidade do Ar Interior, obrigatórias no processo de credenciação técnica, facilitando o acesso dos profissionais. Esta descentralização irá continuar em função de parcerias que se continuem a estabelecer junto de diversos agentes com participação activa no processo ou no mercado.

 

Não deixem de nos contactar, solicitando ou apresentando propostas para a resolução ou enquadramento das vossas necessidades.

 

Nuno Roque

Secretário-Geral APIRAC


Notícias

 

PORTUGAL DESPERDIÇA ENERGIA SOLAR

Alemanha lidera a nível europeu
 

Devido a fraco investimento Portugal desperdiça energia solar. Somos um dos países europeus com mais horas de sol por ano, entre 2200 e 3300 horas, mas o que menos aposta no aproveitamento da energia solar.

 

Portugal possui sensivelmente cerca de 300 mil metros quadrados de área de painéis solares. Um número muito abaixo do registado noutros países de dimensão semelhante. A Grécia, por exemplo, já vai nos 4 milhões de metros quadrados.

 

Apesar dos países do norte da Europa terem menos horas de sol por ano ainda são os que mais investem no aproveitamento da energia solar. O grande destaque vai para a Alemanha com mais de 8 milhões de metros quadrados de painéis solares instalados.

 


 

GESTÃO DE RESÍDUOS PERIGOSOS

É um bom negócio

 

O mercado nacional tem evoluído positivamente no que respeita à gestão de resíduos perigosos, registando-se um crescimento na ordem dos 20% no volume do negócio durante o ano de 2007. No ano passado, assinalou-se um valor total de 132 milhões de euros nos negócios de empresas que gerem este tipo de resíduos. Relativamente ao ano de 2006, este valor representa um crescimento notável.

 

A nova legislação sobre o tratamento de resíduos perigosos, assim como, o aumento no cumprimento da lei foram as causas apontadas para justificar este desenvolvimento na área referida.

 


QUIOTO

Portugal demonstra maior consciência ambiental

 

O Observador Cetelem apresentou um estudo em que analisa a imagem que os portugueses têm relativamente às energias renováveis e ao modo como são produzidas pelos equipamentos. Este caderno específico refere que em Portugal são produzidas apenas 10% das energias consumidas. Daí a necessidade de se reconsiderar a política de gestão energética.


A introdução de energias «limpas» é uma urgência incontornável.

 

O protocolo de Quioto limita o uso dos combustíveis de petróleo e carvão que ainda são os mais consumidos no país, com valores na ordem dos 71% e 19%, respectivamente.

 

Quanto ao cumprimento das metas ao nível do reaproveitamento de vidro, papel e embalagens, têm sido respeitados os valores.

 

Como tal, o estudo revela que 25% dos inquiridos estão predispostos a adquirir equipamento de produção de energia renovável, no espaço de um ano, num investimento médio de 3.500 euros. O que representa um aumento da consciência ambiental e uma maior sensibilidade à sua protecção.

 


ENERGIAS RENOVÁVEIS

Portugal poderá tornar-se exportador de tecnologias de energia

 

Portugal pode vir a tornar-se exportador de tecnologias para aproveitamento de novas energias e para gestão de recursos energéticos, nos próximos 10 anos.

A garantia foi dada pelo ministro da Ciência e da Tecnologia, Mariano Gago, após a assinatura dos acordos entre o Estado Português, empresas nacionais e o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), onde destacou a importância do protocolo estabelecido para investigação na área da energia.

 


Destaques

 

EMTEU - ENERGY MANAGEMENT TECHNICIAN IN EUROPE

Resumo dos Trabalhos do encontro em Lisboa

 

Realiza-se no passado dia 31 de Março de 2008 a Assembleia-Geral da APIRAC, apresentado assim o exercício findo de 2007, com as diversas actividades concretizadas nos departamentos que constituem a Associação.

 

Decorreu em Lisboa, no centro de formação da APIEF, entre 3 e 5 de Abril, p.p., o encontro de Lisboa do projecto EMTEU– Energy Management Technician in Europe, integrado no programa Leonardo da Vinci. Da agenda destacavam-se as reuniões de trabalho destinadas a fazer o ponto da situação relativamente ao dessenvolvimento dos conteúdos programáticos dos sete módulos que constituirão o curso.

 

Sobre o estado dos trabalhos concluiu-se que se encontram em fase avançada, apesar de a data limite de final de Junho de 2008, prevista para a sua conclusão, estar muito próxima. Também se agendou a próxima reunião, a ter lugar em Lorient, França, entre 10 e 13 de Julho próximos.

 

Mas em Lisboa também houve visitas técnicas incluídas no programa do encontro: uma ao INETI, onde a atenção foi focada, primeiro no Edifício Solar XXI e nos seus sistemas passivos de climatização, e, depois no Laboratório de Ensaio de Colectores Solares; outra à Climaespaço, onde se visitou a central de cogeração, após uma explicação detalhada do projecto, no seu presente e no seu futuro; finalmente, uma última à Brisa, ao Edifício do Centro de Coordenação de Operações em Carcavelos, junto à A5, onde foi apresentada a empresa, o seu funcionamento e os projectos para o futuro. Acabou por haver alguma decepção nesta última uma vez que se tinha como objectivo a visita à instalação solar e de climatização do edifício, esta algo peculiar.

 

Apesar disso, as visitas constituíram alguns dos momentos altos do encontro, cabendo aqui uma palavra de agradecimento às entidades que nos receberam e, em particular, às pessoas que nos acompanharam, pela sua simpatia e competência.

 

Estes encontros reservam sempre momentos para alguma descontracção e convívio, e o de Lisboa não foi excepção. Ao fim de cada jornada, à volta da mesa, durante o jantar, aproveita-se para um aprofundamento das relações e do conhecimento mútuo, afinal mais cultural do que os objectivos restritos do projecto.

 


Formação Profissional

 

 

Documentação necessária a apresentar na Inscrição:

 

• Bilhete de Identidade;

• Nº de Contribuinte;

• Curriculum Profissional;

• Declaração das empresas comprovativa dos anos de actividade e eventuais certificados/diplomas de habilitações

 

Lisboa: Isabel Fonseca

Tel:  21 322 42 60

Telm: 96 494 29 31

Fax: 21 347 45 76

formacao@apirac.pt
formacao@apief.pt

Porto: Dra. Patrícia Maia

Tel:  22 208 88 37

Telm: 96 494 29 32

Fax: 22 208 48 79

apirac.porto@apirac.pt

formacao.porto@apief.pt

Guimarães: Dra. Maria José

Tel:  253 554 288

Telm: 96 744 68 60

Fax: 253 554 135

apirac.guimaraes@apirac.pt

formacao.guimaraes@apief.pt


Tecnologia


Parede de Trombe

 

A maneira mais simples de se melhorar a eficiência energética dos edifícios é utilizando técnicas passivas. As soluções construtivas e os materiais utilizados, são responsáveis pela eficiência energética dos edifícios.

 

Com um bom projecto, uma boa execução e com os materiais mais adequados, pode conseguir-se diminuir significativamente os gastos energéticos com os sistemas activos de climatização.

 

Sendo que, em termos de transferência de calor, as variáveis climáticas que mais influenciam os edifícios, são a temperatura do ar exterior e a radiação solar, um dos sistemas de captação de energia solar passiva mais utilizados é a chamada "Parede de Trombe" (desenvolvida em França pelo engenheiro Félix Trombe).

 

 

Consta de uma parede, que basicamente é uma mini "estufa", constituída por um vidro exterior orientado (no hemisfério Norte) para Sul, uma caixa de ar e uma parede de elevada inércia térmica, (normalmente betão, pedra ou tijolo maciço).

 

A radiação solar a partir do infra-vermelho atravessa o vidro e aquece a parede. A radiação emitida pela parede, de maior comprimento de onda, não consegue voltar a atravessá-lo, o ar existente na caixa-de-ar aquece e assim produz-se o "efeito de estufa". A parede vai acumulando calor que, sem alternativa de saída, é conduzido para o interior da habitação.

 

É importante que a parede de Trombe seja exteriormente protegida, para que o sistema apenas produza calor quando necessário. Uma pala de protecção sobre o vidro, correctamente dimensionada resolve a questão. Poderá também ser colocado um estore, que permanece aberto no Inverno e fechado no Verão, do mesmo modo, sempre instalado exteriormente ao vidro.

 

Uma Parede Trombe pode satisfazer até 15% das necessidades de aquecimento no período de Inverno desde que correctamente dimensionada e orientada.

 

Se quiser saber mais sobre o assunto, click aqui!


Tome nota / Agenda


Datas para pagamento de impostos durante este mês

Não Esquecer

 

15 Abr

Pessoal

Mapa de férias (data para afixação no local de trabalho).

15 Abr

IRS

Data limite de entrega da Declaração Modelo 3 via internet, relativamente aos rendimentos auferidos em 2007, pelos sujeitos passivos que tenham exclusivamente auferido rendimentos das Categorias A (trabalho dependente) e H (pensões). Se tiverem auferido rendimentos destas categorias provenientes do estrangeiro, terão de preencher o anexo J; se tiverem Benefícios Fiscais terão de preencher, em conjunto com a declaração, o anexo A.

15 Abr

Segurança Social

Contribuições relativas ao mês de Março/08.

16 Abr

IRS

 

Data de início de entrega da Declaração Modelo 3 via internet, relativamente aos rendimentos auferidos em 2007, pelos sujeitos passivos com rendimentos que não exclusivamente das Categoria A (trabalho dependente) e H (pensões).

21 Abr

IRS/IRC

Retenções efectuadas em Março/06.

21 Abr

Imposto do Selo

Imposto Selo relativo ao mês de Março/08.

30 Abr

IMI

Fim do prazo de pagamento da primeira prestação do Imposto Municipal sobre Imóveis desde que o seu montante seja superior a 250,00 €. Caso o montante seja igual ou inferior ao valor mencionado, o pagamento do imposto, será efectuado de uma só vez, no prazo supra mencionado.

30 Abr

IUC

Data limite do pagamento do Imposto Único de Circulação - IUC, relativo a veículos á data do aniversário da matricula que ocorra no presente mês (substitui os anteriores Imposto Municipal sobre Veículos e os impostos de circulação e camionagem). As pessoas singulares poderão solicitar a liquidação em qualquer Serviço de Finanças.

30 Abr

IRS

Data limite de entrega da Declaração Modelo 3, somente para declarações entregues via papel com anexos, relativamente aos rendimentos auferidos em 2007, pelos sujeitos passivos com rendimentos que não exclusivamente das Categoria A (trabalho dependente) e H (pensões).


Legislação

Práticas comerciais desleais

DL n.º 57/2008, de 26.3 -  Estabelece o regime aplicável às práticas comerciais desleais das empresas nas relações com os consumidores, ocorridas antes, durante ou após uma transacção comercial relativa a um bem ou serviço, transpondo para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 2005/29/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 11 de Maio, relativa às práticas come3rciais desleais das empresas nas relações com os consumidores no mercado interno.

 

Regulamento Geral das Edificações Urbanas

DL n.º 50/2008, de 19.3 - Procede à 16.ª alteração ao DL n.º 38 382, de 7 de Agosto de 1951, que estabelece o Regulamento Geral das Edificações Urbanas.

 

Código dos Contratos Públicos

Decl. de Rectific. n.º 18-A/2008, de 28.3 -  (1º Supl.) - Rectifica o DL n.º 18/2008, de 29 de Janeiro que aprova o Código dos Contratos Públicos.

 


Certames / Eventos

WORKSHOP - O SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA EM EDIFÍCIOS DE SERVIÇOS E AS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS DA LEI DO TABACO

23 de Abril

Auditório da Câmara Municipal da Batalha

 

A ENERDURA encontra-se a realizar em colaboração com a ADENE e com a Câmara Municipal da Batalha, um workshop sobre o tema "O Sistema de Certificação Energética em Edifícios de Serviços e as implicações da Lei do Tabaco".

 

Este workshop tem como objectivo sensibilizar o público em geral e particular, para as questões da Certificação Energética em Edifícios  e implicações práticas da Lei n.º 37/2007 (Lei do Tabaco).

 

Contactos:

e-mail: rovigo2008@iclei.org

Site: http://www.iclei-europe.org/index.php?id=rovigo2008

   

SOLAR 2008

3 A 8 DE Maio

San Diego, Califórnia

 

SOLAR 2008 é a primeira conferência técnica para a energia solar e da eficiência energética para os profissionais nos Estados Unidos.

 

No seu 37º ano, esta conferência oferece-lhe as novas tendências, os avanços tecnológicos, a indústria e conexões que são necessárias para Técnicos, Profissionais e Empresários da área se manterem à frente das últimas tecnologias e avanços deste sector.

   

Contactos:
Site: http://www.ases.org/solar2008/

 
   
   

Publicidade

Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado

 

Congresso Mediterrânico de Climatização

 

Revista Grau Celsius

 

Directório APIRAC

 

Publicidade


 

 

Parcerias

 

Direcção Geral de

Energia e Geologia

 

Agência Portuguesa

para o  Ambiente

 

Agência para a Energia

 

Instituto para a Qualidade na Formação

 

Programa REDE

 

Instituto Português da Qualidade

 

Universidade do Algarve

 

Associação Portuguesa dos Engenheiros de Frio Industrial e Ar Condicionado

 

Associação Portuguesa dos Industriais de Engenharia Energética

 

Instituto da Construção e do Imobiliário

 

Escola Náutica Infante Dom Henrique