Apirac Serviços Notícias Associado Newsletter Directório Fórum Destaques  
Arquivo 2007
Arquivo 2006
Arquivo 2005
 
  PORTUGAL É PIONEIRO NA MUDANÇA DE PARADIGMA ENERGÉTICO
 

 

Portugal assume hoje a liderança na aposta em eficiência energética através do Plano Novas Energias - RE.NEW.ABLE. Esta posição é reforçada com o lançamento do projecto InovCity, uma rede inteligente de distribuição de electricidade, que teve lugar a 6 de Abril, em Évora, cidade que comemora cem anos de electrificação. A ADENE, Agência para a Energia, esteve representada no evento e na conferência que se seguiu, sobre Cidades do Futuro, pelo director-geral, Alexandre Fernandes.

A cidade é cada vez mais um ponto fundamental de interacção entre produtor e consumidor de energia. Mais do que as zonas envolventes, os parques industriais, as instalações agrícolas ou os transportes. É por isso que o paradigma de fornecimento e consumo de energia deve começar por mudar nos grandes aglomerados populacionais, passando o cidadão de consumidor a micro produtor e de simples consumidor a consumidor eficiente.

Para este novo paradigma energético, contribuem cinco conceitos: redes inteligentes; micro produção térmica; iluminação eficiente (LED); mobilidade eléctrica (MOBI.E) e mobilidade sustentável.

Redes Inteligentes
Coloca o consumidor no centro do modelo energético e estabelece as redes inteligentes de distribuição de energia como plataforma de tecnologias verdes. Desenvolvido pela EDP Distribuição, com o apoio de parceiros nacionais de produção industrial, tecnologia e investigação (EDP Inovação, Lógica, Inesc Porto, Efacec, Janz e Contar) as redes inteligentes visam dotar a rede eléctrica de informação e equipamentos capazes de automatizar a gestão das redes, melhorar a qualidade de serviço, diminuir os custos de operação, promover a eficiência energética e a sustentabilidade ambiental e promover a penetração das energias renováveis nas cidades.

Através deste sistema é possível controlar e gerir, ao momento, o estado de toda a rede de distribuição de electricidade e, por esta via, diminuir significativamente os tempos de duração de eventuais interrupções de energia. As vantagens para o consumidor reflectem-se na factura a pagar, uma vez que passam a contar com planos personalizados consoante cada necessidade de consumo e cada perfil de cliente.

Micro Produção Térmica
Com a introdução da rede inteligente potencia-se também o volume de energia que qualquer utilizador da rede pode produzir em sua casa a partir de painéis solares fotovoltaicos ou pequenas turbinas eólicas, adaptando as condições técnicas de exploração da rede em função dessa mesma produção. As captações podem mesmo ser feitas através da utilização de equipamentos e matérias construtivas tradicionais, como palas de sombreamento e guarda corpos de varandas.

Iluminação Eficiente (LED)
Através da simples medida de substituição de lâmpadas normais por tecnologia LED será possível obter poupanças energéticas superiores a 80 por cento, tendo simultaneamente uma alta eficiência eléctrica óptica com mais de 100 lumen por watt. Esta tecnologia permite ainda uma adaptação automática às necessidades climatéricas e momentâneas.

Mobi.E
Projecto de rede de pontos de carregamento de cobertura nacional. Com este programa de Mobilidade Eléctrica Portugal tem, em projecto, a primeira rede no mundo de pontos de carregamento de veículos eléctricos. Estes pontos de carregamento equilibram os espaços públicos e residenciais. A rede piloto do Mobi.E inclui a cidade de Évora e estimula a área empresarial, o sistema universitário e a investigação nacional.

Mobilidade Sustentável
Com epicentro também nas cidades este conceito coloca o transporte eléctrico no centro do paradigma, cabendo a cada cidadão, sujeito activo, operar uma mudança de comportamento preferindo a utilização de uma rede de transportes públicos eléctricos em lugar da utilização do seu veículo propulsionado a combustíveis fósseis. Uma vez mais é nos grandes centros populacionais que esta medida fará sentir os seus impactos, desde logo no Ambiente e na Qualidade de Vida dos seus habitantes.

Fonte: ADENE